terça-feira, 22 de janeiro de 2019

Como superar janeiro (e outros meses difíceis)

Olá, de novo! Bom ano! Ainda se pode dizer bom ano? 🎇🎆

Estes três meses de ausência serviram para pôr as séries em dia, certo? É que hoje trago mais umas para vos motivar para 2019 (embora a época dos posts «como entrar com o pé direito em 2019» já tenha apanhado um certo bolor).  

1. Baby 



Fonte: http://br.web.img2.acsta.net/pictures/18/11/13/10/18/2407755.jpg



Começamos em língua italiana, com a apresentação do quotidiano de duas jovens romanas: Chiara e Ludovica. Ignoradas pelos respetivos familiares e amigos, as raparigas decidem apoiar-se uma na outra e aproveitar a sua jovialidade. Se, no colégio, o uniforme as descaracteriza, é na noite de Roma que libertam os seus demónios. Bonitas, inocentes e desejosas de afirmação, as adolescentes acabam por travar conhecimento com fundadores de uma rede de acompanhantes de luxo. A primeira temporada é constituída por seis episódios (com uma média de 40 min. de duração) e está disponível, assim como as que se seguem, na Netflix. Não tenham reservas quanto à língua e aproveitem para memorizar algumas palavras de bolso. 





2. Plan Coeur 


Fonte: https://images.justwatch.com/poster/98188757/s592

Já em França, a desajeitada Elsa, quase a chegar aos trinta, volta para casa do pai, depois de uma relação amorosa rompida. Sem espaço próprio e com um trabalho pouco interessante na Câmara Municipal de Paris, Elsa atravessa um momento delicado. Contudo, quando se tem duas amigas divertidas, como Charlotte e Emilie, não há abatimento que resista. Para grandes males, grandes remédios e, assim sendo, as duas decidem contratar um prostituto para arrebitar a jovem. Elsa, sem nada saber, sorria. E, para além de sorrir, também se apaixona pelo prestador de serviços, Jules. Claro que o rebuliço é absolutamente expectável, mas muito, muito engraçado. Até agora, Plan Coeur está dividida em cerca de oito episódios (com 25 a 30 min. de duração).






3. Sex Education



Fonte:
 http://www.tribunadeituverava.com.br/wp-content/uploads/2019/01/
sex-education-netflix-6-691x1024.jpg


Continuamos de bom humor, mas, desta vez, no Reino Unido. Estreou a 11 de janeiro e já deu muito que falar, uma vez que oferece verdadeiras aulas de educação sexual ao seu público. Otis (Asa  Butterfield, sim o menino da «Invenção de Hugo») tem dezasseis anos, é virgem e a sua mãe, Jean (Gillian Anderson, a senhora de «The X-Files»), é sexóloga. A inexperiência de Otis podia rotulá-lo de mais um banana de liceu, não fosse o seu talento para ouvir e aconselhar acerca dos problemas sexuais dos alunos (que, amiúde, têm origem em inseguranças ou em traumas do passado). Ao longo dos anos, Otis foi ouvindo as consultas da mãe à socapa e, daí, conseguiu reunir um acervo de conhecimentos úteis. Juntamente com Maeve, resolve abrir uma clínica ilegal na escola, de modo a ajudar os colegas e a obter algum lucro. Composta por oito episódios (50 min. de duração), Sex Education é mais um grande sucesso que versa sobre os valores da amizade e da tolerância. Das três, a minha favorita e a mais urgente para tirar alguns macaquinhos do sótão.




Escrito por Susana Ferreira. 

Sem comentários:

Enviar um comentário