sexta-feira, 12 de maio de 2017

Querido maio,



Esta chuva está a manipular a ordem natural das coisas. Vê lá se pões um travão nisto.


  • O meu cabelo parece que anda sempre molhado, acachapado e com pequenos filamentos rebeldes no cimo da cabeça. É chato porque não quero parecer um franguito de aviário.

  • Os pés fazem choc choc nos pisos encharcados e arrastam as águas para as superfícies secas, deixando pegadas de sumo de terra por todo o lado. 

  • A minha avó quer que fique em casa a ver as celebrações que se estão a desenrolar em Fátima: «O tempo está mau, fica a ver a chegada do Santo Padre! Não te rias Susana. Não nos devemos rir destas coisas. Só te faz bem!»

  • O meu cão Leonel rouba os tapetes do estendal, para poder contemplar a chuva de uma forma mais pomposa. Vejam como ele escolheu o tapete que condiz com o seu pelo camel.




  • O meu pai apegou-se demasiado ao seu smartphone. Eu nem sabia que ele conseguia redigir uma SMS tão longa e tão bem pontuada. Tenho de elevar a fasquia do meu pai, no que diz respeito às novas tecnologias. Nota: Pai, ''conselhos'' deveria estar escrito com ''s'' mas a tua filha perdoa-te essa! 





Pensa nisto, maio. 



Cordialmente, 


Susana Ferreira. 



4 comentários:

  1. Olá Susana! "Esse" pai não faz por menos : -)) Muito, mas muito cuidadoso.
    E a avó tem razão. Ela tem sempre razão! A menina não pode rir-se nestas cerimónias!
    Beijinho grande nosso.
    Maria Fonseca

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada pelo comentário, beijinhooooos =D =D

      Eliminar
  2. Ahah, a tua avó :P a chuva é boa para ficar em casa, que é. Mas acho que também me ria! E o teu pai está só preocupado, queridissimo! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Claro que sim. =D Obrigada pelo comentário. Beijinhos

      Eliminar