quinta-feira, 9 de março de 2017

A senhora de cabelo grisalho

Ilustração de Rita Lopes.


Uma senhora de cabelo grisalho, com bijuteria cor de prata nas mãos e nas orelhas. Veste, maioritariamente, preto e carrega um acompanhante. Anda de um jeito frouxo mas apresenta alguma delicadeza na forma como pega na carteira e, sobretudo, nele. Está quase sempre feliz. Não sei o seu nome nem tenho a certeza do que faz. Dizem que veio para Portugal para estudar, que acabou por se estabelecer cá e que trabalha no meio universitário. 

Sobra-me muito tempo para observar as pessoas. Frustradas, felizes, tímidas, ingénuas, honestas, simpáticas, fúteis, dependentes, encolerizadas, tristes, presunçosas, alheadas, descomprometidas, dissimuladas, pragmáticas, resolvidas, gananciosas, ávidas, pessoas que não queriam a vida que têm e pessoas perfeitamente satisfeitas com a vida que escolheram. Todas elas passaram por mim... Tantos tipos de pessoas, e ela a menos matemática... 

- Ó Susana, já pensaste que ela é só maluca? 

Não, não pode ser. Estouvados todos somos. 

- Ela pode estar ligada a certos rituais e ao ocultismo!!

Não, não pode ser só isso. A forma como ela o envolve na manta, o acarinha, fala com ele... Há ali qualquer coisa que merece mais explicação. Só se separa dele quando precisa de tirar a carteira da mochila. Senta-o num canto, verifica se ele está direito e confortável, dá um sorriso tímido e volta a atenção para o seu interlocutor. 

Todos sabem quem ela é mas ninguém a conhece. Sabem de histórias relacionadas com ela e com o seu companheiro mas ninguém sabe a origem daquela parceria. 

Eu que gosto de um bom mistério e que estou sempre a formular pensamentos vagos dentro da minha imaginação fértil e, por vezes, pouco útil, já avancei com duas hipóteses. Acredito que tenha perdido um filho e que precise de extravasar a necessidade de aconchegar e de mimar.  Ou, simplesmente, tenha encontrado o seu próprio método para suprimir a solidão. 

Não lhe consigo perguntar. Tenho receio de espoletar uma reação que cause embaraço. 

Ahhh... O mistério mantém a curiosidade viva. Quando se sabe a verdade, tudo fica menos interessante, a magia desaparece. Contudo, eu ainda vou descobrir... Eu ainda hei de descobrir... 

Eu hei de saber por que motivo a senhora de longos cabelos grisalhos se faz acompanhar de um sapo de peluche e o envolve como se de um bebé se tratasse.




Escrito por Susana Ferreira. 

Sem comentários:

Enviar um comentário