terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

«Jackie»

Fonte: https://i2.wp.com/teaser-trailer.com/wp-content/uploads/Jackie.jpg?ssl=1





  Jaqueline Kennedy cede uma entrevista a Theodore White, da revista Life, uma semana depois do assassinato de John Kennedy. Através dela percebemos a sua trajetória enquanto primeira dama dos Estados Unidos da América. 

  Tentando sempre mostrar-se no seu melhor como esposa do Presidente, nunca se sentiu plena ao lado dele. Ela própria refere que nunca procurou a fama, até ao momento em que se tornou uma Kennedy. O povo tinha de ver nela um exemplo de simpatia, modéstia e cônjuge perfeita, e Jackie soube desempenhar bem este papel.

Fonte: http://www.gazetadopovo.com.br/ra/mega/Pub/GP/p4/2017/01/26/CadernoG/Imagens/Cortadas/film-hornaday-f76b5b48-bcbd-11e6-91ee-1adddfe36cbe-kQlD-U201485917606ivB-1024x576@GP-Web.jpg


Dei alguns passos, vi um carro com uma bandeira e lembrei-me que Kennedy viria à cidade naquele dia. Neste momento ouvi o barulho de um tiro. Depois houve uma pausa e em seguida dois tiros, e algo raspou a minha bochecha direita. Um polícia de mota parou perto da relva e duas cabeças falavam com ele. Eu cheguei no momento em que um homem dizia: 'A cabeça explodiu, a cabeça explodiu.´. ´A cabeça de quem?, perguntou o polícia. ´Do presidente.'. 
[Consultado em 07/02/2017]
  
  
  No momento da grande tragédia, Jackie acaba por confidenciar que podia ter salvado o marido, caso percebesse que se tratavam de tiros, e tentou fazê-lo posteriormente, mas em vão. 


  A partir daqui, o pano cai e a Mrs. Kennedy vê-se desamparada. Ela percebe nos que a rodeiam atitudes de quem previa a queda de John Kennedy. 


Fonte: http://www.planocritico.com/wp-content/uploads/2017/01/jackie_2016_plano_critico-600x400.jpg


  Aquela que ensaiou sorrisos e gestos, vê-se agora hesitante na maneira como explicar aos filhos a ausência do pai e na forma como preparar um funeral digno do presidente da Estados Unidos da América. 


 Acaba por conceder-lhe, nas palavras do próprio jornalista que a entrevista, um dos maiores espetáculos que o mundo já viu. 

Fonte: https://cinematographecinemafilmes.files.wordpress.com/2017/02/jackie-filme-9.jpg?w=600&h=355

Fonte: https://cinematographecinemafilmes.files.wordpress.com/2017/02/jackie-filme-9.jpg?w=600&h=355


  

  Um grande louvor que serviu para homenagear nem mais nem menos do que ela própria. Perdoá-la-emos pelo autoelogio, sendo que foi a responsável pela elevação de John Kennedy a um estatuto quase mítico ao fazer referência ao musical preferido do marido, Camelot*, e comparando ao lendário Rei Artur.

- Agora ele é uma lenda, quando ele só queria ser um homem.


*cidade e castelo lendário, sede da corte do rei Artur nas histórias medievais associadas ao Ciclo Arturiano da Matéria de Bretanha. 
  

Escrito por Mariana Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário