sábado, 7 de janeiro de 2017

As primeiras séries de 2017

O ano ainda só tem 7 dias e eu já me meti em mais séries. Numa época de hiatus da ficção americana, não há melhor oportunidade para conhecer outras histórias do que esta!


Fonte: https://i2.wp.com/espalhafactos.com/wp-content/uploads/2017/01/image004.jpg?resize=759%2C450&ssl=1


Desde que a RTP apresentou a série Terapia, fiquei muito curiosa com as produções que o canal exibe. A 02 de janeiro, a televisão pública estreou Ministério do Tempo, uma obra que fez muito sucesso noutros países. 

A premissa tem tanto de sério como de cómico: no século XXI existe um ministério (o segredo mais bem guardado do estado português) que alberga portas que nos encaminham para aos diversos períodos da história do povo lusitano. Os responsáveis desta associação privada selecionaram três agentes que viajam no tempo, de modo a assegurar que a história de Portugal não é alterada ou corrompida. 

Já que dois castelhanos fugiram do século XIV com o objetivo de procurar informação (no século atual) que lhes permita vencer a batalha de Aljubarrota, é urgente devolvê-los ao tempo a que pertencem, deixando a nossa vitória imaculada.

Mas ... Se a tão desejada máquina do tempo existe, será que não surge a tentação de usá-la para um bem próprio? Surge, sim. Penso que esse reverso da moeda irá entusiasmar os espectadores. 

Apesar de, excecionalmente, serem notórias algumas fragilidades a nível técnico, ressalvo que esta obra traz alguma inovação à ficção nacional. É, assumidamente, uma série com boa disposição e com um pouco de tolice, cujo intuito passa por homenagear e revisitar as figuras mais ilustres de Portugal. 

Fonte: http://media.rtp.pt/ministeriodotempo/wp-content/themes/ministeriodotempo/includes/img/personagens-dir.png



📺📺Podem ver os episódios disponíveis aqui. 📺📺



Se Ministério do Tempo é uma série que se aprecia, confortavelmente, durante o serão, a que vos vou falar de seguida é completamente fucked up. 


Fonte: http://assets1.ignimgs.com/2016/09/01/1274080mktpawestworlds1keyartpov1jpg-42cbc1_765w.jpg

Westwold é o nome de um parque de diversões para adultos muito invulgar. Estou no 2.º episódio, no entanto sei que a obra é constituída por 10 capítulos e que retorna para uma segunda temporada em 2018. 

Ainda que um pouco densa, é possível concluir, para já, que a narrativa se desenvolve num mundo futurista. Nesse mundo tecnologicamente avançado, existe uma organização que inventou um parque de diversões inspirado no faroeste. Criaram os cenários e as personagens, dando-lhes uma vida e um guião. Apesar de andróides, as personagens são programadas para exprimir emoções e sentimentos. Em suma, perfeitamente semelhantes ao homem. 

Este parque temático não é para qualquer um... Ou melhor, não é para qualquer carteira. Ser-se abonado é, sem dúvida, um requisito. 

Ao embarcar nesta aventura, os convidados podem satisfazer os seus vícios, dos mais violentos aos mais luxuriosos, tirando partido dos andróides disponíveis no recinto.


MAS... 


Fonte: https://i.ytimg.com/vi/n-Hv5kvfP5A/maxresdefault.jpg


Os andróides começam a apresentar sinais de vida própria... Reações e emoções que não foram previamente programadas.

Sinto que isto não vai acabar bem mas estou cá para ver!! 🙈🙈😄😄


Espero que tenham gostado das sugestões e que vos motive para o início deste 2017. Já conheciam? Qual a vossa opinião?




Escrito por Susana Ferreira. 


Sem comentários:

Enviar um comentário