sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Alguns dos meus musicais favoritos

Quando fui desafiada pela Mariana e pela Susana para colaborar na semana temática dedicada à televisão, para além de radiante pensei que acertaram num tema que me diz muito. Sou uma grande consumista de tudo aquilo que a TV nos proporciona: desde filmes e séries aos concursos de talentos e documentários, consigo passar tardes inteiras em frente a uma televisão, sem dar pelo tempo passar.


Por isso desenvolver sobre o tema, à partida, não seria difícil. Mas, no meio de tanta coisa que acompanho e gosto, não se revelou uma tarefa assim tão fácil escolher sobre o que falar aqui. Acabei por incidir sobre algo que nunca leio na blogosfera e que me é particularmente familiar, algo que junta duas das minhas paixões: musicais. Uma forma de cinema fascinante, emocionante e que só aqueles que dominam as 3 artes – dança, música e teatro – conseguem singrar. Por isso, e sem me alongar muito mais, trago uma lista de alguns dos musicais que, para quem quer conhecer um pouco mais deste mundo, não pode deixar de ver.


Fonte: Imagem disponibilizada pela autora.

1 // Les Miserábles:

Este musical roubou-me o coração de uma forma que mais nenhum o fez, até hoje. Inspirado na obra de Victor Hugo que se passa durante a Revolução Francesa no século XIX, trata a história de Jean Valjean, um homem que roubou pão para alimentar a sua família e acaba preso por isso. Quando é liberto, tem que começar a sua vida de novo e redimir-se do erro que tomou, que o perseguirá durante toda a sua vida. Um musical com M grande, cantado do início ao fim mas que, nem por um minuto, nos deixa desviar o olhar. Verdadeiramente comovente e cru como só ele consegue ser.



Fonte: Imagem disponibilizada pela autora.
2 // Hairspray:


Imaginem aquelas comédias românticas de domingo à tarde em forma de musical e têm o Hairspray! Conta-nos a história de Tracy uma rapariga acima de peso com uma grande paixão por dança que, ao longo do filme, vai lutando por aquilo que sonha – um lugar no seu programa de televisão favorito - e acredita – um mundo igual para todos. Existem duas versões cinematográficas desta história e, contrariamente ao que seria de esperar, a minha favorita é a mais recente. Um musical que nos ensina a aceitar todos por igual, independentemente do seu peso ou etnia.



Fonte: Imagem disponibilizada pela autora.

3 // Grease:


Conta-nos a história de Sandy e Danny, dois adolescentes completamente opostos em termos de personalidade que se apaixonam durante o Verão e que veem o seu amor de Verão, ao contrário do que pensariam, a prolongar-se para o período escolar. Trata na perfeição os vários tipos de pessoas que se podiam encontrar na década de 50 numa escola secundária, os vários vícios e costumes. Cheio de boa música, de personagens interessantes e bem levezinho, é um dos filmes a que recorro quando preciso de animar o espírito.




Fonte: Imagem disponibilizada pela autora.
4 // Ray:


Completamente diferente de todos aqueles que mencionei até agora, este não assenta bem no conceito de musical. Conta a história de vida de Ray Charles, eternizado pelo clássico Hit The Road Jack mas que é muito mais que 1 Hit Man. Ao acompanhar a sua vida, as dificuldades que passou e os vícios aos quais sucumbiu fiquei realmente com uma perspetiva diferente deste artista que, se antes admirava, agora idolatro. Mostra-nos que não devemos tomar tudo como garantido, que devemos valorizar aquilo que temos e que o trabalho faz sempre parte da equação para o sucesso.


Fonte: Imagem disponibilizada pela autora. 

5 // Singin’ in the Rain:


Para este musical eu não tenho palavras. É de um nível completamente diferente, uma qualidade que não tem precedentes. Atores que sabem cantar, dançar e representar sem qualquer falha, puros génios do teatro musical! A história é centrada em duas personagens: Don e Lina, dois atores mundialmente famosos na arte do cinema mudo. Mas, com o avanço da tecnologia, veem-se num grande problema: o aparecimento do cinema falado. De forma a não perderem a sua fama, têm de trabalhar para superar as suas dificuldades. Como é um musical bem antigo, é giro observar a forma como todo o filme é gravado e o avanço tecnológico que se deu desde essa altura até agora.


Fonte: Imagem disponibilizada pela autora.

6 // Sweeney Todd: 


Para terminar, nada melhor do que Tim Burton. Como só ele o pode fazer, criou um ambiente perfeitamente sinistro para enquadrar Benjamin Barker, um homem que regressa a Londres após 15 anos afastado, forçosamente, da sua mulher e filha. Sob o nome de Sweeney Todd, procura vingança. Um musical que nada tem a ver com os outros mas que, por ser tão macabro, se torna especial. Uma escolha perfeita para quem, tal como eu, não gosta de terror mas quer algo diferente para ver.





🎦🎵🎥


Tenho que admitir que criar uma lista foi incrivelmente difícil de fazer. Há imensos que, com muita pena minha, ainda não tive oportunidade de ver e há outros que poderiam facilmente substituir alguns destes que vos falei. Aliás, esta lista não será bem uma lista de favoritos, mas uma lista de menções honrosas!

Quero, finalmente, agradecer à Mariana e à Susana, pelo facto de se lembrarem de me convidar para escrever aqui no canto delas. Obrigada pelo voto de confiança!

Já viram algum destes filmes? Qual é o vosso musical favorito?



Escrito por Marli Neves do blog My Own Anatomy 

http://myown-anatomy.blogspot.pt/

2 comentários:

  1. Obrigada pelo convite, uma vez mais! :) Espero que os vossos leitores gostem muito do post.

    My Own Anatomy ♡

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nós é que agradecemos! Volta ao nosso Canto quando quiseres :) Beijinhos!

      Eliminar