quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Ewww! Que nojo!





Nunca fui daquelas pessoas que, por qualquer partícula de pó, desata a ir lavar as mãos ou a soltar o típico ''Eww! Que nojo!''. Todavia, sinto que, ultimamente, o sabonete, as toalhitas e a abençoada água, são os meus melhores aliados. Sou pouco tolerante à nojice e há, de facto, coisas que me irritam cada vez mais!


1. O ''atchiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiim!!!!!!!!''. Todos nós espirramos, eu sei. No entanto, será que é necessário dar um espirro tão alto que os vossos perdigotos têm de tocar na minha pele?? Por favor, coloquem o braço à frente da boca e afastem-se das pessoas que têm por perto. Começo logo a suar, quando espirram sem qualquer cuidado. Aliás, chego mesmo a ter a urgência de me enfiar numa banheira de álcool. 


2. Boca: o depósito predileto. Certo dia, houve alguém que colocou um cartão na boca (porque quando as mãos estão ocupadas, a boca é a nossa terceira extremidade) e depois quis dar-mo. O meu semblante transpareceu repugnância. Esse alguém decidiu, portanto, que seria de bom tom limpar o cartão à camisola, antes de fazê-lo chegar às minhas mãos. N-Ã-O! Somos criaturas racionais! Por que motivo falhamos nestas aprendizagens básicas?? UMA COISA É A NOSSA BABA! OUTRA COISA É A BABA DOS OUTROS. Nem todos os fluidos precisam de ser trocados. Só se, eventualmente, alcançarmos um certo grau de intimidade! 



3. Coisas languinhentas. Peixes acabados de amanhar, carnes acabadas de golpear, queijos amanteigados, óleo de atum, enfim... Se um espirro me dá vontade de ir para uma banheira de álcool, coisas languinhentas dão-me vontade de mergulhar num rio de desinfetante. O que me incomoda ainda mais é o facto de as pessoas se estarem a marimbar para um peixe a escorrer sangue ou para uma carne com as vísceras bem visíveis e palpáveis. 


4. Atmosfera pesada. Sabem quando entram num sítio, onde o ar que paira está contaminado pelas respirações pesadas, pelo aquecimento central, pelos perfumes intensos, pelo suor e pelas constipações da época??? Começo a entrar em parafuso, como se diz popularmente. Por instantes, tento suspender a minha respiração e o funcionamento do meu corpo... Ingenuamente, julgo que esta atitude pode filtrar toda a poluição onde acabei de entrar. O meu estômago revolve-se e algures, na zona das minhas têmporas, começa a surgir uma dor aguda. Os olhos ficam pequenos e a querer fechar. 


5. Dinheiro. Tão importante mas tão nojento. Não consigo descrever o quão doentia é a sensação de ter dinheiro na mão, num dia de calor ou num ambiente quente. O cheiro que fica é nauseabundo. 



E vocês? Qual é a nojice que não toleram?


Escrito por Susana Ferreira. 

Sem comentários:

Enviar um comentário