quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Perturbação Obsessivo-Compulsiva


Fonte: http://cdn1.mundodastribos.com/579256-A-mania-de-limpeza-e-organiza%C3%A7%C3%A3o-%C3%A9-caracteristica-de-quem-possui-TOC.-Foto-divulga%C3%A7%C3%A3o.jpg




Quando dos encontros com as minhas primas, além dos habituais devaneios, ocupamos as noites com conversas sobre as temáticas da área de cada. A Inês, que é estudante de Psicologia, esteve há dias a falar-me acerca da POC (Perturbação Obsessivo-Compulsiva)*. Considerei ser um assunto pertinente para vos trazer. 

*No Português Europeu utiliza-se este termo; no Português do Brasil usa-se Transtorno Obsessivo-Compulsivo. 


Trata-se de uma perturbação crónica, caraterizada pela existência de obsessões que ocupam a consciência de um indivíduo de forma repetitiva e lhe provocam ansiedade. Estas são seguidas das chamadas compulsões, atos que tem como objetivo reduzir ou prevenir os efeitos das primeiras. 




  • Atentem nas obsessões mais frequentes e respetivas compulsões para perceberem melhor: 


A Ordenação está relacionada com a necessidade de arrumar e ordenar. Os indivíduos repetem a ação até que sintam que está bem feita e que tudo está devidamente ordenado. 

Entre os famosos: Para chegar ao estúdio onde gravava O Aviador, Leonardo DiCaprio fazia um caminho específico, de forma singular. Se errasse, refazia o trajeto novamente. 


A Contaminação envolve preocupação extrema com a limpeza. Na maioria dos casos, os indíviduos repetem inúmeras vezes o ato de lavar as mãos após cada tarefa. 

Entre os famosos: Megan Fox não frequenta casas de banho públicas com receio do contacto com germes. António Raminhos tinha o hábito de lavar as mãos várias vezes (foi-lhe diagnosticada uma POC aos 21 anos, controlada depois com a ajuda de psicofármacos e terapia).


A Dúvida Patológica ocorre devido ao temor de uma consequência provocado pelo descuido. Como exemplo, está o facto de as pessoas se certificarem várias vezes se uma porta está efetivamente fechada. 

Entre os famosos: Jennifer Love Hewitt não consegue dormir sem verificar se as portas dos armários de cada divisão da casa estão fechadas. 



O vídeo seguinte mostra claramente como acontece cada uma delas. 

(Ativem as legendas do vídeo, não estão perfeitamente corretas mas permitem compreender as ideias gerais.)





O importante é estarmos atentos ao nosso comportamento. O tratamento da POC pode ser feito através de psicofármacos ou, sempre o mais aconselhável, psicoterapia. 



Escrito por Mariana Pinto
Acompanhamento científico de Inês Monteiro, estudante de Psicologia na 
Faculdade de Ciências Humanas e Sociais da Universidade do Algarve

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

REVIEW: Cold Cream Nourishing Body Lotion, Avène

Olá a todas e a todos!

Sempre usei cremes para rosto/corpo de supermercado. De há uns tempos para cá, tenho pesquisado mais, tenho tido mais cuidado a ver preços, ingredientes, relação qualidade-preço, entre outros.
Como vos expliquei aqui, existem, na cosmética em geral, ingredientes que, tanto a curto como a longo prazo, são prejudiciais para nós.
O ideal é não os usar com frequência, mas existem dois (pelo menos) que é quase impossível fugir: o Sodium Lauril Sulphate (também pode aparecer como Sodium Laureth Sulfate ou Ammonium Laurel Sulfate) que é, basicamente, o composto químico que faz com que determinado produto faça espuma, e o óleo mineral (ou parafina líquida ou petrolatrum) que são substâncias usadas para dar hidratação e brilho.

Ora, vocês conseguem pensar em, por exemplo, algum champô ou gel de banho que não faça espuma? Pois. Ou conseguem imaginar um creme de corpo que não seja hidratante? Pois. O problema nos cosméticos é este... Certo produto até pode ter ingredientes naturais (a The Body Shop ou a Caudalie são muito boas nisso, por exemplo) mas em 98% dos casos vai lá estar uma substância ou um componentezinho químico.

Bom, mas voltando para o post de hoje... Nesta minha busca incessante por melhores produtos, decidi ir a uma Parafármacia à procura de um creme hidratante para o corpo. Dei de caras com o Cold Cream da Avène e pensei: "Ok, é da Avène, mal não vai fazer!"




Vem numa embalagem generosa de 400 ml (usado com frequência ainda rende uns seis/sete meses) e com sistema de pump! Perfeito! O que não era perfeito era o preço... 25€! Respirei fundo e pensei: "Ok, é da Avène Sónia, calma! E 400 ml de produto não são 30 nem 100!"

Este hidratante é hipoalergénico, não contém parabenos e é indicado para todo o tipo de peles, sobretudo as mais secas e sensíveis.
É muito básico mesmo, não vão encontrar nenhum cheiro a laranjas ou a rosas... Efetivamente, cheira a qualquer coisa mas não consigo identificar o quê.
Não é pesado, é bastante líquido até e a pele absorve-o logo! Dá-nos uma hidratação muito boa!



Não sei se sabem, mas a ordem pela qual os ingredientes estão descritos é muito importante... Em primeiro lugar vem sempre o que se encontra em maior quantidade no produto... Neste caso é a água termal. 
O facto de ter parafina líquida não me surpreendeu mas fiquei contente por não ser logo o 2º ingrediente/substância (como é na maioria dos casos). Como podem reparar, ainda tem perfume e Phenoxyethanol Sodium Hydroxide, que também é considerado perigoso para a nossa saúde. 
Não é o ideal mas é muito bom, em comparação ao que encontramos no supermercado! 
Gostei dele mas não o amei, entendem? 

E vocês? Já conheciam este produto? Se sim, o que acharam?
Muitos beijinhos.
Escrito por Sónia Dias.

quinta-feira, 25 de agosto de 2016

O poder da maquilhagem

Olá a todas e a todos!

Como estamos a celebrar a arte, decidi trazer-vos algo semelhante ao famoso e viral vídeo "the power of makeup": 



Digo semelhante porque a) não fiz em formato de vídeo mas sim em fotos; b) não fiz uma transformação dramática porque não era mesmo esse o meu propósito e c) infelizmente, as fotos não traduzem a 100 % a maquilhagem que fiz. 




Como podem reparar, à exceção das olheiras/papos e de algumas manchas do sol, não tenho grandes imperfeições para esconder. Tenho cuidados básicos com a minha pele, todos os dias. Tenho psoríase sim, mas trato muito bem dela. 



Esta seria uma maquilhagem que usaria para uma saída à noite por exemplo... E o meu objetivo era este: com pouco e com relativa facilidade conseguimos a diferença! Considero que não é preciso um look "full glam" para dar outro à nossa cara, mas claro, se o fizerem, as diferenças são ainda mais notórias!



Tenho realmente pena que nas fotos não se veja bem o quão bonita a pele estava... coloquei mesmo muito bronzer, mas já se sabe que as máquinas fotográficas/de filmar "comem" a maquilhagem! 

Concluindo, usando maquilhagem ou não, o que importa é que sejam vocês mesmas/os e estejam bem com vocês próprios! Eu sinto-me bem das duas maneiras, saio de casa sem maquilhagem milhões de vezes, por exemplo. Como disse aqui há uns tempos, não há nada de errado em usar ou não usar, depende inteiramente de vocês e SÓ de vocês! :D 


Produtos utilizados (cliquem nos nomes para verem os produtos):

Base Infallible 24h da L'oreal (cor 140 Golden Beige) misturada com o Drops Of Sun da The Body Shop
Lápis de sobrancelhas Brow Pencil da Maybelline (na cor Dark Brown)
Sombra Soft & Sexy (paleta Naturally Yours, Zoeva) por toda a pálpebra móvel
Sombra Relieve The Moon (paleta Smoky, Zoeva) abaixo da sobrancelha e no canto interno do olho
Sombra Timeless Chic (paleta Naturally Yours, Zoeva) para esfumar o lápis preto

Espero que tenham gostado! 
Muitos beijinhos.
Escrito por Sónia Dias.

quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Entrevista: O Artista e sua Arte

Na semana da arte, o Vinicius Silva, muito gentilmente, concedeu-nos uma entrevista. Nela deu-nos a conhecer o percurso até à sua afirmação como ator, bem como o projeto em que está atualmente envolvido. Aproveitámos ainda para saber a sua opinião sobre a persistência na carreira artística.



CSD - Antes de mais, muito obrigada por teres aceitado o nosso convite.

Vinicius - Eu é que agradeço pelo convite. É um privilégio pessoal poder falar e partilhar sobre a minha profissão.


CSD - Conta-nos, quando é que soubeste que a representação era, inevitavelmente, a carreira que tinhas de seguir?

Vinicius - Sem dúvida na Escola Profissional (Escola Profissional de Desenvolvimento Rural do Rodo). Apesar de ter entrado em Apoio Psicossocial, foi nas disciplinas de Expressão (dramática e corporal) que comecei a fazer teatro amador e a escrever.


CSD - Como investiste nela, ou seja, qual foi a formação que tiveste?

Vinicius - Após a Escola Profissional, espontaneamente, optei por um CET (Curso de Especialização Tecnológica) em Bragança. Durante um ano no curso de Produção nas Artes do Espetáculo, pude explorar mais o teatro e ter acesso a mais conhecimento e ferramentas.


CSD - Depois disso, em que projetos pudeste desenvolver a técnica, digamos assim?

Vinicius - Fiz um estágio profissional em S. João da Pesqueira, onde nasci e morava na altura. Num grupo de teatro designado "Pesqueira em Palco", pertencente ao Centro de Animação Sociocultural e Teatro de S. João da Pesqueira (CAST), fiz teatro de palco e teatro infantil. Depois disso, entrei na Viv´Arte e tive oportunidade de experimentar expressão corporal, teatro de rua, técnica de clown, malabarismo, entre outras vertentes, nas quais testei o meu potencial para a representação.


CSD - Como foi a entrada na Companhia de Teatro Viv´Arte?

Vinicius - Depois de ter concluído os estudos em Bragança, inscrevi-me no Centro de Emprego. Inicialmente fiz telefonemas e enviei currículos, mas não tive sucesso. Passei assim cinco meses à procura de um estágio remunerado. Eventualmente, pedi ao meu irmão mais velho se seria possível marcar-me uma entrevista. Mais uma vez, enviei por e-mail o meu currículo personalizado, juntamente com uma carta de motivação. Não optei pelo CV modelo Europass, que é algo que eu aconselho fazer. Consegui a entrevista, sobrevivi, passei na minha primeira entrevista profissional e, uma semana depois entrei na Viv´Arte.


CSD - Explica-nos um pouco o conceito do projeto.

Vinicius - A Viv´Arte é uma Companhia de Teatro especializado em recriação histórica, ou seja, é uma fusão entre o teatro e a recriação histórica. No caso, fazemos recriações desde o período Neolítico até ao 25 de abril. Maioritariamente realizamos teatro de rua, porque os nossos trabalhos são feiras romanas, feiras medievais, feiras quinhentistas e também seiscentistas, setecentistas e oitocentistas. E temos vertentes em teatro, esgrima artística, artes circenses, teatro infantil, teatro de palco e animação sociocultural.


CSD - E quais são ainda as tuas ambições, onde esperas estar no futuro?

Vinicius - Hoje em dia não me preocupo tanto com o que vou fazer ou onde vou estar daqui a cinco ou dez anos. Tento esforçar-me e dedicar-me muito naquilo que faço. Pretendo fazê-lo durante o máximo de tempo que conseguir e enquanto a Companhia o permitir.


CSD - Por fim, tendo em conta a nossa realidade, por que motivos não se deve substituir a vocação de ator?

Vinicius - Eu penso que fazer aquilo que se gosta é um privilégio enorme todos os dias, e nem todos o têm. E se eu o estou a fazer, é porque me esforcei bastante. Traduziu-se num longo caminho e é algo em queu tenho a certeza que tenho muito mérito. Quando fazemos algo que apreciamos e somos realmente bons, não faz sentido não lutar por isso. Felizmente, posso afirmar que estou onde quero e a minha profissão me faz feliz pessoal e profissionalmente.


Festival das Novas Invasões, Torres Vedras, 2015




Festival das Novas Invasões, Torres Vedras, 2015




Festival Pirata de Buarcos, Figueira da Foz, 2015




Feira Medieval de Silves, 2015




Batalha da Redinha - Invasões Francesas, Pombal, 2016




Recriação da Batalha dos Atoleiros, Fronteira, Portalegre, 2016




Feira Quinhentista de Machico, Madeira, 2016




Festival Pirata de Olhão, 2016










Uma entrevista CSD

Entrevistadora: Mariana Pinto
Entrevistado: Vinicius Silva

segunda-feira, 22 de agosto de 2016

É isso mesmo, a arte traz felicidade.



Fonte: https://msellisliteraturelab.files.wordpress.com/2015/10/books-wallpaper-10626-11133-hd-wallpapers.jpg




A mim, a arte faz-me feliz. É isso mesmo, a arte traz felicidade.


Acho que a melhor maneira de explicar isso é falar do meu amor pela grande arte que é a literatura.


Desde pequenina que chateio os meus pais para me comprarem aquele livro e o outro, e ainda mais aquele! Parece que nunca são suficientes para preencher este desejo de livros que tenho em mim.


Penso que muitas pessoas nunca se agarraram muito à leitura porque nunca encontraram o tal livro, ou porque começaram pelo género de livros errado. Não podemos fechar a porta à literatura à primeira desilusão! Quando entramos neste mundo, damos de caras com livros que nos desiludem, dando-nos apenas vontade de partir paredes com eles, mas se não desistirmos, vamos também encontrar o livro, aquele livro, que nos faz querer viver naquele mundo e nunca vamos querer esquecer a história.


Posso dar-vos um exemplo. Atualmente, só leio em inglês e, preferencialmente, livros do género Young Adult e, dentro deste género, leio fantasia e contemporâneos (principalmente). Mas, obviamente, não foi com este género de livros que comecei a minha paixão pela leitura.


Lá pelos meus 13 anos, decidi que era altura de ler a Saga Twilight (romance Young Adult, lido na altura em português) e oh-meu-deus, foi a melhor decisão da minha vida. Apesar de já não ler romances, nunca vou esquecer Twilight e vou estar eternamente grata por me ter apresentado este maravilhoso mundo que é o Young Adult.


Não fechem as portas. Deixem os livros entrar. Se não for hoje, vai ser amanhã. Não desistam dos livros, porque eles também não vão desistir de vocês 😊




Escrito por Sofia, do blog An Aesthetic Alien. 




sexta-feira, 19 de agosto de 2016

A Idade do Gelo: O Big Bang

Fonte: http://filmspot.com.pt/images/filmes/posters/big/278154_pt.jpg



Esqueçam a tradicional teoria do Big Bang.  A nova sequela da Idade do Gelo traz-nos uma explicação bem mais divertida para o desencadear do acontecimento que resultou na formação do Universo.


O CULPADO: o esquilo Scrat, na sua incessante busca pela noz. 




Para impedir a colisão do meteroro com o planeta Terra, os nossos personagens contam com a chefia inesperada, porém exemplar, de Buck. 

Fonte: http://vignette4.wikia.nocookie.net/iceage/images/0/0e/Buck_explains_about_the_asteroid.jpg/revision/latest?cb=20160411204344



Enquanto isso, cada um enfrenta os seus dilemas pessoais:

  • Manny e Ellie esforçam-se para que a filha desista da ideia de partir após casar com Julian, de quem o pai sente ciúmes; 
  • Sid sofre pelo término da sua relação, a sujeita considerou-o um tanto aborrecido;
  • Diego e Shira receiam que os filhos que querem ter os vejam como predadores. 

Fonte: http://stat.mozi24.hu/images/pe/2630/262967_800x600.jpg


Fonte: http://vignette1.wikia.nocookie.net/iceage/images/e/e4/Ice_Age_Collision_Course_Diego_and_Shira_looking.png/revision/latest?cb=20160301214219



De modo a dificultar a situação, o time enfrenta ainda, as investidas de um pequeno bando de dinossauros que sobreviveram à extinção.


Fonte: https://bastidoores.files.wordpress.com/2016/07/ice-age-3.jpg?w=584



Uma auntêntica corrida contra o tempo, preenchida pelas fabulosas representações de Crash e Eddie e as tiradas cómicas de Sid e da sua desnorteante avó.  

Fonte: https://1.bp.blogspot.com/-qABrEd0rOvw/V3rN-EA_LmI/AAAAAAAAlRo/vuqsfwHkOEI1bdh5Q0RPYwBWvoFj4Z69QCLcB/s1600/Ice-Age-Collision-Course-Official-Trailer-3-9.jpg


Fonte: http://vignette3.wikia.nocookie.net/iceage/images/7/70/Ice_Age_Collision_Course_Sid_and_Granny_all_tied_up_2.png/revision/
latestcb=20160304080200



E no final, aceitarão Manny e Ellie a decisão da filha? Sid voltará a encontrar o amor? Conseguirão impedir esta grande explosão? 



Fonte: http://br.web.img3.acsta.net/c_300_300/pictures/16/01/18/22/28/052277.jpg



Escrito por Mariana Pinto

quarta-feira, 17 de agosto de 2016

Dos favoritos #2: Lait-Crème Concentré, Embryolisse

Olá a todas e a todos!

Quem já anda no mundo da blogosfera há algum tempo conhece de trás para a frente este creme hidratante... É óbvio que tinha de o experimentar e dizer o que acho sobre ele. 



O tão famoso creme hidratante da Embryolisse, uma marca francesa super conhecida. Todos os maquilhadores deste mundo fora adoram este produto e, por isso mesmo, é um clássico! 
Obviamente que a marca se expandiu ao longo do tempo e, por acaso, o primeiro produto que experimentei não foi este hidratante, mas sim este (cliquem para ver qual) e adorei igualmente! 

Bom, mas voltando ao que interessa...


Trata-se de um creme normal, destinado para todos os tipos de pele, de cor branca e consistência média, ou seja, não é líquido mas também não é um hidratante "gordo" do estilo Nivea da lata azul. 
É mesmo um creme básico, quase sem cheiro. 
Na sua composição, encontramos manteiga de Karité, cera de abelha. proteína de soja e aloé vera, ou seja, ingredientes que ajudam a hidratar e a acalmar a pele. 


Não contém parabenos, o que é sempre algo muito positivo! 
Cumpre o que promete: proteger, hidratar e acalmar a pele! Gosto de o utilizar à noite, antes de dormir, por ser um creme que não é logo absorvido pela pele. 
Considero que todo o tipo de peles vai gostar deste creme... Eu tenho pele mista e não ficou mais oleosa por usá-lo; porém, cada pessoa tem uma experiência diferente com o mesmo produto. 

Julgo que, em Portugal, este creme não se encontra à venda em lojas físicas, por isso vou recomendar-vos dois sites confiáveis, caso estejam interessadas/os: a SweetCare (onde eu o mandei vir) e a Skin, ambos muito bons, de fácil pagamento e rapidez! 

Este produto existe em diferentes tamanhos, eu tenho o de 30ml e custou-me à volta de 10€.
Por isso, toca a tratar da pele! :D

Muitos beijinhos!
Escrito por Sónia Dias.

segunda-feira, 15 de agosto de 2016

TAG: Se eu tivesse um livro


Fonte: http://vignette2.wikia.nocookie.net/charlie-brown-and-snoopythe-peanuts-movie/images/1/1c/The_Peanuts_Movie-_War_and_Peace.jpg/revision/latest?cb=20151224070849



Mariana 
📖



1. Qual seria o título do teu livro?

Drama em gente*, o título que me une ao meu grande compincha :D

*GANDRA, J., Manuel (2015), Drama em gente. Heterónimos e Personalidades Literárias de Fernando Pessoa, Rio de Janeiro, Instituto Mukharajj Brasilian. 


2. Qual autor escreveria a tua história?

Pela sua ficção incluir os géneros que mais aprecio, e a sua escrita ser singular, diria que Edgar Allan Poe escreveria uma narrativa épica.


3. Que capa escolherias?

Talvez optasse por uma parecida a de Anna Karenina de Tolstoi. Acho a pintura muito bonita, à altura do clássico a que serve de capa.




4. O teu livro teria capa dura ou mole?

Tal como o livro referido acima, preferiria um livro de capa dura. Essa propriedade transmite-me a consistência que gosto num livro físico. 


5. Quantas páginas teria?

Umas duzentas páginas seria o ideal :D


6. De que género seria?

Embora o título induza, não se trataria de uma biografia. Um romance, envolto em muito mistério. 



7. O comentário da contracapa seria de quem?

Gostaria que o Leonardo da Vinci (esteja onde estiver) fizesse uma apreciação do meu livro. Sim, era só isso, não queria mais nada :D



Sónia
📖




1. Qual seria o título do teu livro?

Como é linda a puta da vida*. Porque o título diz tudo.

*CARDOSO, Miguel Esteves (2015), Como é linda a puta da vida, Porto Editora. 


2. Qual autor escreveria a tua história?

Eu sempre gostei de romances realistas/neo-realistas, por isso Miguel Torga, José Saramago, José Cardoso Pires seriam bem-vindos.



3. Que capa escolherias?

Eu gosto de capas simples e minimalistas, como as dos livros do José Saramago (edições recentes).



4. O teu livro teria capa dura ou mole? 

Se desse para ter uma capa entre o duro e o mole, era o ideal.



5. Quantas páginas teria? 

Nunca fui pessoa de muitas palavras, umas 70/80 páginas chegariam.


6. De que género seria?

Um romance, sem dúvida. Mas realista.



7. O comentário da contracapa seria de quem?


Se o Saramago fosse vivo, seria dele. Como não está, talvez do Valter Hugo Mãe.




Susana
📖




1. Qual seria o título do teu livro? 

«Incandescente». Lembrei-me desta palavra agora... É bonita. Era capaz de dar um bom título. 


2. Qual autor escreveria a tua história? 

Gostava de ser eu a escrever o meu próprio livro. Assim me ajudasse «o engenho e a arte». 


3. Que capa escolherias?

Uma ilustração minimalista mas misteriosa. Talvez apenas um símbolo e o título da obra. 


4. O teu livro teria capa dura ou mole? 

Dura. Por uma questão de ser mais resistente e elegante. 


5. Quantas páginas teria? 

Tendo em conta o tipo de narrativa que gostaria de desenvolver, ficaríamos entre as 300 e as 400. 


6. De que género seria? 

Gostaria de desenvolver uma narrativa fantástico-maravilhosa. Criar o meu próprio universo e ditar as suas regras. 


7. O comentário da contracapa seria de quem? 

Ricardo Araújo Pereira. 






Por uma questão de coerência, o título da tag original foi alterado. Fonte da mesma: http://meuamorpeloslivros.blogspot.pt/2016/04/tag-se-eu-fosse-um-livro.html


Canto Superior Direito. 

quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Prometo trabalhar!

Fonte: https://3.bp.blogspot.com/-xoYmWcxKRic/V2w_6UIkM9I/AAAAAAAACUo/DEm7ZvYNV-oYF4OUm7O5tKjA9dGHz-KBwCLcB/s1600/tumblr_mfr6mpWKUQ1qdm61io1_500.gif

Eu costumo dizer que a vida de estudante é a melhor. E não é mentira, se não vejamos: 



- Então, estás a estudar?

- Sim, vou para o x ano/estou na Faculdade.



E o diálogo finda. A pessoa que pergunta aceita a nossa resposta e fica perfeitamente esclarecida.



O problema coloca-se quando a vida académica acaba (depois dos três anos estipulados, quatro ou cinco, que isto da Faculdade prende-nos facilmente e custa deixá-la para trás). 


Nessa altura, as conversas mudam radicalmente de extensão:

- Então, estás a estudar?

- Não, já terminei.

- Ah, então vais trabalhar?

- Pois, ando à procura.

-Tiraste o quê?

- x. 

- Isso não está nada bom. Já há tantos y. 

- Parece que é geral.

- Olha, vai mas é para o estrangeiro. Isto aqui não interessa a ninguém. 

...


Já ouviram este discurso muitas vezes, não é verdade? Gostaria que olhássemos agora para ele como se entrássemos na cabeça de um dos interlocutores e víssemos a real expressão do outro. 


- Então, estás a estudar? 

Fonte da imagem base: http://3.bp.blogspot.com/_ZeEnGqZDJ0M/SYOAjST0UeI/AAAAAAAABII/f1Drt-Qcjzg/s200/coscuvilheira.bmp


- Não, já terminei.

Fonte da imagem base: https://thumbs.dreamstime.com/z/set-different-emotions-cat-anime-doodle-design-icons-
emotion-anger-joy-surprised-hurt-indifference-58037559.jpg


- Ah, então vais trabalhar? 

Fonte da imagem base: http://3.bp.blogspot.com/_ZeEnGqZDJ0M/SYOAjST0UeI/AAAAAAAABII/f1Drt-Qcjzg/s200/coscuvilheira.bmp


- Pois, ando à procura.

Fonte da imagem base: https://thumbs.dreamstime.com/z/set-different-emotions-cat-anime-doodle-design-icons-
emotion-anger-joy-surprised-hurt-indifference-58037559.jpg


-Tiraste o quê?

Fonte da imagem base: http://3.bp.blogspot.com/_ZeEnGqZDJ0M/SYOAjST0UeI/AAAAAAAABII/f1Drt-Qcjzg/s200/coscuvilheira.bmp


- x. 

Fonte da imagem base: https://thumbs.dreamstime.com/z/set-different-emotions-cat-anime-doodle-design-icons-
emotion-anger-joy-surprised-hurt-indifference-58037559.jpg


- Isso não está nada bom. Já há tantos y. 

Fonte da imagem: http://3.bp.blogspot.com/_ZeEnGqZDJ0M/SYOAjST0UeI/AAAAAAAABII/f1Drt-Qcjzg/s200/coscuvilheira.bmp


- Parece que é geral.

Fonte da imagem base: https://thumbs.dreamstime.com/z/set-different-emotions-cat-anime-doodle-design-icons-
emotion-anger-joy-surprised-hurt-indifference-58037559.jpg



- Olha, vai mas é para o estrangeiro. Isto aqui não interessa a ninguém. 

Fonte da imagem base: http://3.bp.blogspot.com/_ZeEnGqZDJ0M/SYOAjST0UeI/AAAAAAAABII/f1Drt-Qcjzg/s200/coscuvilheira.bmp

-  
Fonte da imagem base: https://thumbs.dreamstime.com/z/set-different-emotions-cat-anime-doodle-design-icons-
emotion-anger-joy-surprised-hurt-indifference-58037559.jpg
...





Se puderam verificar, face à disfarçada tentativa de nos deprimir, agimos, inicialmente, de forma inocente. No entanto, esta intenção é posteriormente detetável. De modo a manter a boa educação que recebemos, ao invés de uma resposta cortante, optamos pela boa e velha poker face

A todas estas pessoas: Não estão a incentivarmo-nos, se assim fosse agradeceríamos!

É claro que sabemos que o estrangeiro nos oferece mais oportunidades do que o nosso país. O que nos entristece é esse objetivo de querer menosprezar a nossa formação e o nosso futuro. 

Nós prometemos, vamos trabalhar, ainda melhor e mais felizes se for na nossa área. Na próxima, o diálogo voltará a ser curto: 


- Então, estás a trabalhar?

- Sim, estou. 


A dita pessoa, sem mais, acenará e, inexplicavelmente, todo o Universo se recomporá.  


Escrito por Mariana Pinto.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Qual é o teu cheiro?

Olá a todas e a todos! 


Hoje venho falar-vos de um produto essencial para qualquer pessoa: o perfume!
O perfume que usamos consegue dizer muito sobre nós já repararam? E quantas vezes já vos aconteceu cheirarem uma determinada fragrância e lembrarem-se daquela pessoa? :D
Depois de vários anos a usar perfumes que se vendiam em Perfumarias, um dia parei e disse a mim mesma: "30ml por este preço é ridículo! Sónia, vamos explorar o mercado dos perfumes!"
E assim descobri os perfumes da Zara... E nunca mais voltei atrás!
São baratos, cheiram bem (pelo menos os que já usei), não há grande dificuldade em encontrá-los, uma vez que existe uma Zara em cada esquina e, melhor de tudo, o cheiro realmente fica por muito tempo em nós e na nossa roupa (essa é a preocupação n.º1 quando se trata de perfumes baratos).

Bem, o primeiro que usei foi o From Zara With Love, um perfume com uma embalagem super amorosa e que trazia ainda de bónus um mini-perfume em roll on para andar connosco na mala! 
Julgo que este é da linha permanente da Zara (não tenho bem a certeza)... A verdade é que agora, passado mais de um ano, estou a usá-lo de novo!
Traz 60ml e custa 12,95€! Eu prefiro sempre cheiros doces e frescos e este é sem dúvida um perfume frutado! Podemos encontrar aromas como tangerina, pêra, baunilha e jasmim.


Fonte: http://www.fragrantica.com.br/perfume/Zara/Zara-With-Love-28863.html


Fonte: http://tremvaidoso.blogspot.pt/2015/06/5-marcas-com-perfumes-bons-e-baratos.html


Depois, veio cá para casa o mesmo mas na versão "Summer Edition":


Fonte: http://www.fragrantica.com.br/perfume/Zara/From-Zara-With-Love-Summer-Edition-31150.html



A embalagem é igual, muda só a cor. Deste gosto ainda mais porque, em comparação ao primeiro, é mais doce e cheira mesmo a verão, sabem? O preço é igual também! 



Quando este acabou, o que eu comprei foi o Femme. Um perfume definitivamente menos frutado do que os dois anteriores, mas ainda assim, o travo a baunilha dá-lhe ali um toque doce. É mais subtil, um cheiro fresco mas subtil, é um perfume de inverno como eu costumo dizer. Traz 30ml por 9,95€.


Fonte: http://www.zara.com/pt/pt/mulher/perfumes/zara-femme-eau-de-toilette-100-ml-c445501p3609836.html



Neste momento, como disse em cima, voltei a usar o From Zara With Love
Os perfumes da Zara valem cada cêntimo, meninas! Já comprei alguns para a minha mãe e para o meu pai, que também os adora (sim, as fragrâncias para homem também são qualquer coisa de divinal)!

E vocês? Já experimentaram algum perfume da Zara? Gostaram?
Muitos beijinhos.





Escrito por Sónia Dias.

segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Suicide Squad

Fonte: http://br.web.img3.acsta.net/pictures/16/01/20/09/33/524164.jpg



Como já disse repetidas vezes, sou uma estreante no que diz respeito aos universos da Marvel e da DC Comics. Decidi ir ver, com os amiguinhos, o Suicide Squad e confesso que estava empolgada, sobretudo pelo casal sensação Joker e Harley Quinn. 




Fonte: http://s13.favim.com/610/160130/harley-quinn-jared-leto-joker-margot-robbie-Favim.com-3942973.jpg


De um modo geral, é um filme muito divertido e cheio de ação para ir ver com boa companhia e com um bom saco de gomas. As personagens que enchem o olho são, efetivamente, as desempenhadas pelos atores Margot Robbie, Jared Leto, Will Smith e Viola Davis. 

Ah! E a banda sonora também cativa, imediatamente, o espectador! Não consigo parar de ouvir Heathens, dos Twenty One Pilots. 






Por outro lado, na minha humilde opinião, há partes que não foram tão bem conseguidas:

1) A personagem desempenhada por Cara Delevingne não me convenceu. Achei pouco credível e apagada... Merecia mais sumptuosidade e expressividade, dada a grandeza da Enchantress.

2) Apesar de ter gostado muito das partes em que aparece o nosso Mr. J., achei que faltou algo... Soube a pouco. Já é público o descontentamento do ator Jared Leto, face aos sucessivos cortes que as suas cenas sofreram. Concordo que a personagem merecia mais destaque, até porque todos estávamos muito curiosos acerca do início da sua história com Harley Quinn. A verdade é que os primórdios da relação foram explicados. Mas... Não sei... Fiquei com a sensação de que faltou algo. Contudo, do que pude verificar, a caracterização e a interpretação estavam no ponto.  

3) Sendo este um esquadrão suicida, pareceu-me que, durante o filme, o foco andou quase sempre nas personagens de Will Smith e de Margot Robbie. Na verdade, foram as minhas favoritas. Adorei o pragmatismo do mercenário Deadshot e pose de diva da sádica Quinn. Mas será que houve, de facto, um equilíbrio na distribuição dos holofotes? Senti que algumas personagens me passaram um pouco ao lado. 


Fonte: http://im.ziffdavisinternational.com/t/ign_pt/news/s/suicide-sq/suicide-squad-new-harley-quinn-and-deadshot-magazi_x49r.640.jpg



Estas foram as minhas impressões acerca de um dos filmes mais aguardados do ano. E vocês? Já viram? Qual a vossa opinião? =)



Escrito por Susana Ferreira.