quarta-feira, 27 de julho de 2016

Linguagem corporal: dicas

Este post tem uma base científica muito pouco sedimentada. Tudo o que vos vou falar assenta, somente, em algumas leituras, visionamentos de séries/filmes ou conclusões (tiradas através da observação de comportamentos) que a minha curta experiência de vida me permitiu reunir.



Fonte: https://media.giphy.com/media/1zFuyZJMs5cXK/giphy.gif



Já é rebatido o meu fascínio pelo comportamento humano. Deste modo, decidi traçar dois ou três tópicos acerca deste tema, bem como algumas dicas que podem ser úteis no vosso quotidiano.



1. A mentira. Este é aquele clássico que todos gostaríamos de detetar à primeira vista. Bom, tenho alguns ''truques'' para vocês! Porque o conhecimento é livre e partilhável =D 

  • Gestos: Segundo algumas leituras, percebi que o ser humano, desde pequeno, manifesta a tendência de colocar as mãos à frente da boca, quando emite um enunciado falso. À medida que vamos crescendo, vamos refinando esse gesto (até ele ficar cada vez menos óbvio). Por isso, muita atenção ali à região bucal de certas pessoas! Ainda no que diz respeito aos gestos, há quem diga que piscar os olhos naquele fatídico segundo pode ser a morte do artista mentiroso. Nunca consegui apurar este facto, no entanto fica a informação. =D 
  • Tom de voz: As variações no tom de voz também podem revelar certos artistas: ou demasiado agudo ou demasiado grave, quase impercetível. Na série Mentalista, Patrick Jane alerta a sua parceira da PJ que, quando ela emitia uma voz demasiado fina e aguda, se denunciava. 
  • Truque que pode dar jeito, aplicado a outra realidade: Também em Mentalista, Jane, por forma a reunir informações acerca de uma cena de crime, pergunta à multidão que assistia algo do género:

«Quem é que, por cem dólares, quer dizer a verdade/ dar informações acerca do que aconteceu neste local?» 


Imediatamente, a maioria colocou o braço no ar para falar. Exceto uma pessoa. Ora, isso significava que a verdade que essa pessoa tinha para contar vale muito mais do que uns meros cem dólares e que, claramente, sabia muito mais do que aparentava. Deste modo, Jane separou o trigo do joio, ou seja, as pessoas que não tinham nada a acrescentar ao caso (e que apenas queriam o dinheiro que ele ofereceu), da que era suspeita.



Fonte: http://media.tumblr.com/tumblr_m7ace4kUcQ1qcchw5.gif




2. Business. O aperto de mão é um habitué em entrevistas de emprego, negócios, política ou em relações que exigem esta cordialidade. Na verdade, até o aperto de mão pode entreabrir o nosso carácter.


  • Se o aperto de mão for ''reto'', isto é, se a mão ficar perpendicular ao chão e a palma apontar para o vosso lado esquerdo, significa que apresentam uma atitude de igualdade perante o outro, ou seja, vêem-no como um ser igual. 
  • Se, por outro lado, quando do aperto de mão, a vossa palma ficar, ligeiramente, virada para cima, isso significa que estão a prestar submissão ao outro. 
  • Por sua vez, se a palma ficar, ligeiramente, virada para baixo, significa que estão numa posição dominante e que apresentam uma atitude soberana perante o outro. 



Fonte: https://media.giphy.com/media/JwPBGHIh4IESc/giphy-facebook_s.jpg




 3. Sedução. Bem, dentro deste tema, há infinitas manifestações de interesse. Deixo-vos, no entanto, as que são fatídicas.


  • Os pés: Normalmente, os nossos pés apontam para a pessoa por quem manifestamos interesse. No caso das mulheres, se estiverem de perna cruzada e com o calcanhar fora do sapato (como se estivesse a brincar com o sapato, a calçar e a descalçar), é porque It's getting hot in here! =D 
  • As pernas e os quadris: Os homens tendem a abrir ligeiramente as pernas e a acentuar os quadris (colocando, por exemplo, as mãos na anca), de modo a destacar a genitália. 
  • Os polegares: Quando cortejam, os homens exibem muito os seus polegares: podem colocar as mãos nos bolsos e deixar, somente, os polegares de fora. 
  • Pulsos: As mulheres tendem, ainda, a exibir os seus pulsos e palmas da mão. É muito fácil ''apanhar'' este gesto, especialmente nas mulheres que têm o hábito de fumar. 



Fonte: http://mrwgifs.com/wp-content/uploads/2013/05/Barbara-Palvin-Sexy-Wink-Gif.gif




4. Coisas que eu já vi nesta curta vida. Este tópico é a parte em que eu digo algumas coisas (que devem ser bastante óbvias para vós) que fui registando mentalmente e que me permitem fazer uma categorização rápida da pessoa que tenho à minha frente. A falar assim parece que sou uma maléfica pronta a dizer «well, well», no entanto encaro isto como um ''truque'' ou ''dica'' que pode ajudar quem tem, por exemplo, um emprego que o obrigue a gerir muitas personalidades por dia. 

- Evito dar muita confiança a pessoas que têm a mania de olhar os outros de ''alto a baixo'', como se costuma dizer. Não é uma atitude bonita e roça ali a falta de educação.

- Pessoas que não respondem às saudações básicas desta vida (bom dia/tarde/noite) têm ali um certo complexo de superioridade, a meu ver.

- Odeio que me dêem coisas (papéis, cartões, dinheiro, etc) sem firmeza, isto é, sem convicção, quase a deixar cair os objetos. Dá a ideia de desprezo pela pessoa que têm à frente.

- Evito olhares demasiado penetrantes. Tomo esses olhares como uma afronta/provocação e, como tal, desvio logo a cara.

- Pessoas demasiado simpáticas... HESITO. Soa-me a postiço.

- Por outro lado, e falando em coisas mais agradáveis, gosto quando manifestam humildade. Sinto isso pela forma do sorriso, pela delicadeza e pelo emprego de certas palavras, pelo não ter medo de mostrar a vulnerabilidade.



E vocês? Contem-me! Conhecem mais dicas como estas! Estou curiosa para saber =D




Escrito por Susana Ferreira.


Sem comentários:

Enviar um comentário