segunda-feira, 18 de julho de 2016

De Amicitia


 [Título em Latim. Tradução: Sobre a Amizade]


"Os amigos Nunca São para as Ocasiões" (http://ospontosdevista.blogs.sapo.pt/miguel-esteves-cardoso-os-amigos-26270), assim se intitula o artigo de Miguel Esteves Cardoso, inserido no livro Explicações de Português. Concordo totalmente com a afirmação!


Não quero com isto dizer que considero que os amigos devem estar connosco sempre, impreterivelmente. É claro que desse modo, seria saturante para os dois lados. Mais do que tudo, os amigos têm de se fazer sentir!

Se estão perto, devem aproveitar para estar juntos o mais possível. Os momentos devem ser preenchidos pelo que mais prazer lhe dá. E não tenham dúvidas, são os nossos momentos mais genuínos e plenos. Aquela(s) pessoa(s) conhecem-nos como ninguém, naquele círculo desprendemo-nos dos artifícios a que as formalidades obrigam e experimentamos a liberdade de sermos tenros.

A distância minimiza estes encontros, e por isso, os poucos devem ser celebrados. A história que tens com esse(s) amigo(s) permite que sempre tenham algo em comum e as novas situações que vão vivendo separados, só acrescentarão mais entusiasmo às conversas. 

Sendo impossível uma inevitável separação física e contrariando a rotina, dispensemos tempo para saber como estão. É reconfortante perceber que se encontram bem! Não tenhamos receio que a amizade se desvaneça. Ela não se manterá como dantes, é certo, mas acabaremos sempre por encontrar aquilo que fez daquelas pessoas nossos amigos.






Os amigos não encontram diferenças entre si. 


Fonte: http://cdn1.mundodastribos.com/327481-desenho6.jpg


Este grupo de amigos (Recess/Recreio) distingue-se sobretudo pela diversidade que só quem está fora percebe. As diferenças servem apenas para encontrar a função ideal de cada um nas várias aventuras por que passam. É nas singularidades que eles se vão encontrando!




Os amigos aceitam as nossas decisões, mesmo que nem sempre as compreendam. 


Fonte: http://i124.photobucket.com/albums/p29/AnotherRain/PP05PSP118.png


Elizabeth e Charlotte (Pride and Prejudice/ Orgulho e Preconceito) sempre foram as melhores amigas. E mesmo que Charlotte se desviasse dos padrões de beleza e fosse tida como uma solteirona que passou da idade de casar, Lizzy nunca a afastou. Para ela, o que importava era a cumplicidade entre ambas. Assim, embora Elizabeth se insurgisse face a uma decisão dela, acabou por aceitá-la. Charlotte teria as suas razões para o fazer. 





Os amigos ocupam um espaço insubstituível na nossa vida.


Fonte: http://65.media.tumblr.com/tumblr_lnihzok5ZX1qc4i52o1_500.jpg



Damon e Alaric (The Vampire Diaries) eram muito mais do que "amigos de copos". Quando Alaric morreu, Salvatore não deixou que mais ninguém se sentasse ao lado dele naquele bar, onde ambos tantas vezes se embriagavam. A partida de Alaric abalou-o como só a morte de um verdadeiro amigo pode fazê-lo. 


Escrito por Mariana Pinto

Sem comentários:

Enviar um comentário