quinta-feira, 2 de junho de 2016

Para os Arlos desta vida

Fonte: http://pumpkin.pt/contests/280/featured_large.JPG


Depois de ver Zootrópolis (falei-vos do filme aqui), decidi embebedar-me com mais animações da Disney. Este cartaz até tinha bom aspeto e, como tal, apostei neste cavalo, ou melhor, neste dinossauro. 



Fonte: http://cfvod.kaltura.com/p/1068292/sp/106829200/thumbnail/entry_id/1_d2vnospu/version/100021/acv/281/width/1024/height/584


Primeiro impacto: Que dinossauro TÃO QUERIDO, OLHEM SÓ AQUELAS PATINHAS GORDAS E DESAJEITADAS! Queroooooooooooo!!!



Fonte: http://4.bp.blogspot.com/-yQbhCrP8bEY/VDINQ5RYoWI/AAAAAAAALzs/Oz7qIkADF94/s1600/GIF%2BI%2Bwant%2Byou.gif


Agora que já ultrapassámos a fase da criancice, OH. MEU. DEUS. este filme é demasiado lindo :') 

Arlo nasceu numa família de dinossauros agricultores, portanto era imperativo que ajudasse nas tarefas da singela fazenda que os pais criaram. Os irmãos de Arlo mostram-se muito proativos desde tenra idade, com força e capacidade para se fazerem à gestão dos campos. Todavia, o nosso protagonista é uma criatura assustada, com alguns receios que o impedem de realizar os feitos de que a sua brilhante personalidade é capaz. 

Poppa e Momma instauram uma política muito importante, aos olhos de Arlo: quem realizar feitos que exijam um grande espírito de sacrifício e de trabalho, tem o direito de carimbar a sua pata no celeiro da família. Devido à agilidade nas tarefas do campo, os irmãos de Arlo conseguem alcançar a sua marca relativamente cedo. 

Apesar das várias tentativas, Arlo é incapaz de vencer os medos que o afrontam. No entanto, como todos sabemos, há um dia em que somos arrastados pela corrente e os nossos conflitos têm de ser, obrigatoriamente, superados para que possamos viver de uma forma mais tranquila. 

Arlo entra numa aventura alucinante com o seu amigo Spot, juntos vão amadurecer e descobrir o lugar a que pertencem. Será que o nosso dinossauro conseguirá, finalmente, alcançar a sua marca?



Fonte: http://www.efeeme.com/wp-content/uploads/2015/11/el-viaje-de-arlo-29-11-15.jpg

Todos nós fomos ou ainda somos um bocadinho Arlos (incluo-me neste nicho), com medo de nos afirmarmos ou de deixarmos que as galinhas desta vida nos dominem (quando virem o filme, vão perceber esta referência às galinhas =D) Contudo, só perdemos o medo de entrar na floresta densa se, efetivamente, a atravessarmos. Podemos até ser os últimos a atravessá-la, mas será em grande ;) 


Como diria uma grande sábia, «The night is dark and full of terrors... But the fire burns them all away!!!»  Só têm de atear o fogo! =D 



Fonte: http://i.imgur.com/mdxLQqn.gif

Não no sentido literal, claro! Porque esta mulher é louca e não percebo o motivo de ainda respirar. Mas isso já é outra história... 






Escrito por Susana Ferreira.

2 comentários:

  1. Chorei milhões neste filme!
    "Chorar de verdade"

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também eu! Credo... É mesmo aquele choro de quase soluçar ...

      Eliminar