quarta-feira, 29 de junho de 2016

«Game of Thrones» - um final [de temporada] explosivo



Depois de um conjunto de nove episódios intensos, ansiávamos profundamente pela conclusão. E ela fez, de facto, jus ao que expectávamos. 




Primeiramente, a preparação para o tão esperado julgamento de Cersei Lannister e Loras Tyrell. O Septo de Baelor enche-se para assistir aos veriditos. 


Loras Tyrell acaba por confessar os seus pecados e promete entregar-se à Fé. Assim sendo, o jovem é marcado com o símbolo da Fé dos Sete, a estrela de sete pontas. 





A mutilação feita ao irmão, indigna Maegary. Contudo, o Alto Septão refere que, como lhe havia prometido, depois do julgamento de Cersei, o jovem estará livre. 

Maegary estranha a ausência da Rainha, e Lancel indica que ela não chegou a sair da Fortaleza Vermelha. Lá, vemos Cersei envergando um vestido negro com arranjos de ferro, que lembram uma armadura. Tommen que se prepara para seguir até ao Septo, é intercetado por Ser Gregor Clegane. 


O Alto Septão incumbe Lancel de trazer Cersei ao local onde se determinará a sentença dos seus atos. No caminho, o militante, tal como Meistre Pycelle, são atraídos por crianças até aos subterrâneos. O Meistre encontra Qyburn que pede que o desculpe e refere que a ascensão do seu estatuto só se realizará após a queda de Pycelle. Em seguida, várias crianças tratam de esfaqueá-lo. 





Após perseguir a criança, Lancel acaba por ser também esfaqueado por ela. No chão, ferido, ele apercebe-se de uma série de velas a arder e vários barris que parecem conter um líquido de cor verde. 

Enquanto isso, no Septo, Maegary suspeita da demora de Cersei. O Alto Septão acalma-a, dizendo que mesmo não estando presente, Cersei não poderá fugir à justiça dos deuses. Ciente da astúcia da Rainha, Maegary pede-lhe furiosamente que esqueça os deuses e adianta que se Cersei sabe que a sua ausência terá consequências, e não está ali, é porque não pretende sofrer com elas. Deste modo, suspeitando de um plano por parte da Rainha, Maegary indica:





Os que se encontram no Septo, com receio, seguem as instruções de Maegary e rapidamente se dirigem à saída. No entanto, são impedidos pelos militantes da Fé. 

A certa altura, todos deduzem que algo de terrível estará prestes a suceder. 



Lancel tenta com esforço chegar perto das velas e apagá-las. Mas, é tarde demais! No momento seguinte, acorre uma explosão. A destruição completa do Septo de Baelor e de grande parte da cidade de King´s Landing





Da Fortaleza Vermelha, Cersei observa triunfante o espetáculo. A Rainha usou o fogo vivo para concretizar a intenção do Rei Louco, Arys II Targaryen. 






Tommen assiste também e fica estupefacto com a crueldade da mãe. Parte da profecia feita em tempos a Cersei está finalizada: os seus três filhos estão agora mortos. 





A Rainha aproveita para torturar a Septã Unella, que antes a havia atormentado com vista à expiação dos seus pecados. 





Cersei incita a Septã a confessar que lhe bateu e a humilhou por puro prazer e não por querer que se arrependesse. A Rainha admite que cometeu vários atos simplesmente porque lhe soube bem fazê-lo.





Unella refere que está pronta para morrer e ir para juntos dos deuses. Cersei declara que ela ainda irá viver bastante tempo e chama Ser Gregor Clegane. Pela primeira vez, vemos o rosto mutilado do homem. Posteriormente, percebemos que o Montanha cometeu atrocidades com a Septã, deixando a sua cara completamente desfigurada. 





Nas Terras Fluviais, Walder Frey celebra a aliança com os Lannister, que permitiu a recuperação de Correrrio.
Durante o banquete, Ser Bronn reconhece o charme que as mulheres encontram em Jaime. Uma das raparigas que serve a bebida parece interessada nele. 




Walder junta-se a Jaime e parodia o facto de o Peixe Negro, conhecido por ser um guerreiro lendário, ter sido morto por soldados medianos. Jaime questiona-o sobre a sua participação nas lutas, ao qual Frey responde que devido à idade já não luta, mas derrotou todos os seus inimigos. Ironicamente, Jaime diz que ele é um grande conquistador. Walder não se ofende, visto que se vingou de todos os que o menosprezaram. 
Walder compara-se a Jaime, e declara que são dois regicidas (lembramo-nos que Jaime matou o Rei Louco, pois ele mandou incendiar King´s Landing; no caso, Jaime fê-lo para salvar o próprio pai e a cidade), a quem os demais temem. Jaime contesta, dizendo: 






No final do banquete, a tal rapariga serve a Walder Frey uma torta. Ele cobiça-a e elogia a sua beleza. Depois, pergunta pelos filhos e a jovem responde que eles estão ali. Não os vendo, o lorde Frey ordena que lhe diga para virem à sua presença. A rapariga insiste e diz que os filhos estão ali, e desta vez aponta para a torta. 
Inesperadamente, a jovem retira a face e vemos assim que se trata de Arya Stark. 




(Quem será a próxima vítima de Arya?)


Sam, acompanhado de Gilly e do pequeno Sam, chega a Vilavelha e dirige-se à Cidadela. No local, informa que Jon Snow determinou que ele deveria tornar-se o novo Meistre da Patrulha da Noite. Ao aperceber-se da presença da mulher e do filho, o Meistre que os recebeu, refere que aquela situação é irregular. O jovem responde de forma assertiva e, de seguida, é encaminhado à biblioteca. 




(Sam a mostrar-se valente, veremos o evolução da sua formação enquanto Meistre na 7.ª temporada.)



Em Winterfell, Jon Snow fala a Melisandre sobre os banquetes que reuniam a família. De seguida, são interrompidos por Ser Davos que confronta a Mulher de Vermelho para que diga a verdade sobre a morte da princesa Shireen. Melisandre refere que a menina teve de ser sacrificada, queimada na fogueira, visto que esta era a vontade do seu Senhor. Perante esta explicação, Davos insurge-se de forma impetuosa:





Ser Davos menciona ainda que as escolhas erradas de Melisandre levaram à morte de muitos, e pede permissão a Jon para a executar. A mulher refere que está pronta para morrer. No entanto, ela aponta que ainda não é a altura e que Jon precisará dela na luta contra os Outros
Jon Snow ordena que a Mulher de Vermelho rume até Sul e adverte-a de que se voltar ao Norte, ele a enforcará. 


(Com quem se encontrará Melisandre e o que o seu Senhor ainda reserva para ela?)



Em seguida, Sansa diz a Jon que o considera um Stark e deveria ser ele e não ela a ficar no quarto dos pais. Snow refere que a irmã foi a principal responsável pela vitória contra os Bolton, já que conseguiu trazer o exército do Vale. Sansa pede desculpa por não o ter avisado sobre este facto. O jovem pergunta-lhe se confia realmente em Mindinho e Sansa diz que só um tolo poderia confiar nele. Jon indica que a partir de agora, 





(Talvez, o futuro possa trazer desentendimentos entre os dois, aguardemos.)


A irmã avisa ainda que chegou um Corvo Branco da Cidadela, a anunciar o tão indesejado Inverno (será este o ponto de partida para a próxima temporada).



Olenna Tyrell encontra-se em Dorne, onde Ellaria Sand, que domina o território juntamente com as filhas, a aconselha a aliar-se a ela por sobrevivência. 





Olenna refere que depois de os Lannister terem acabado com a sua família, não é sobrevivência que procura. Reformulando o seu discurso, Ellaria toca um sino chamando alguém, e continua, indicando que ela terá o que deseja : Vingança, Justiça... Varys, a quem ela havia chamado, completa 






Em Meeren, Daenerys avisa Daario que ele não seguirá para Westeros, ficará na cidade de modo a manter a paz. Revoltado, ele refere que luta somente por ela. A Mãe dos Dragões indica que para fazer alianças terá de se casar e não pode levar com ela um amante. Daario diz que não se importa com o seu futuro marido ou com a coroa, quer somente estar ao lado dela, pois ama-a. Daenerys mantém a sua posição e despede-se do amado.






Mais tarde, Tyrion diz a Daenerys que percebe que tenha sido difícil separar-se de Daario porque ele constituiria um inconveniente nos Sete Reinos. Ele pergunta-lhe se sente medo, ao qual a Mãe dos Dragões responde afirmativamente. Tyrion fica descansado, pois menciona que só os loucos, tal como o pai dela, não sentem temor. Daenerys acaba por referir que o que a assusta mesmo é o facto de ter dito adeus que a amava e não sentir nada em relação a isso. 

Tyrion diz crer em Daenerys e promete aconselhá-la sempre. Esta oferece-lhe uma pregadeira e assim anuncia:




(Finalmente, Tyrion é reconhecido e está no cargo para que nasceu.)  



Ser Baelish vai ao encontro de Sansa, que recorda os momentos de infância em que desejava ser outra pessoa. A jovem questiona-o sobre o que quer dela e Mindinho indica que ela o sabe. Baelish revela que deseja o trono de ferro e tê-la ao lado dele. Mindinho tenta beijar a rapariga, mas ela rejeita. 





Ele menciona que o futuro do Norte passa por ela, que é a filha legítima de Ned e Cathelyn Stark. Desta forma, alerta-a para que não deixe que o poder seja entregue ao bastardo Jon Snow. 



(Esperemos novidades sobre esta relação na próxima temporada, sabemos que Mindinho vai até ao fim para ter o que quer.)



Benjen Stak que seguia com Bran e Meera deixa-os no caminho. O homem não pode passar além da Muralha, uma vez que a magia impossibilita que os mortos o façam. Ele indica que participará na batalha contra os Outros(Se bem se recordam, o tio Benjen foi atingido pela espada de vidro e acabou por ser encontrado pelas Crianças da Floresta que impediram a sua transformação em White Walker. Por isso, Benjen apresenta esta aparência.)





Bran, diz a Meera estar pronto para assumir a sua função enquanto Corvo de Três Olhos. Depois, coloca as suas mãos nas raízes do represeiro (podes encontrar mais informações acerca desta árvore, aqui: http://wiki.gameofthronesbr.com/index.php/Represeiro). 





A partir deste momento, voltamos ao flashback da Torre da Alegria. Ned Stark encontra a irmã, Lyanna coberta em sangue.





Lyanna sabe que não resistirá e pede que Ned lhe prometa algo. 





Ned tem nos braços o bebé que terá de proteger como a um filho: Jon Snow.






(Pois bem, Jon Snow, sobrinho de Ned, filho da sua irmã, Lyanna Stark e de Rhaegar Targaryen. Este havia raptado (ou talvez, ela tenha ido de livre vontade) a jovem por quem sempre fora apaixonado. Como diria a Sónia, teoria confirmada!)



Os Lordes do Norte discutem acerca do facto de terem de lutar junto com selvagens. Jon assegura que os verdadeiros amigos se fazem no campo de batalha. Acrescenta ainda que não poderão regressar a casa, pois a chegada do Inimigo está próxima e ele trará consigo a tempestade. 

Lady Lyanna Mormont acusa os lordes de terem faltado ao juramento feito à casa Stark, pois recusaram o seu chamamento. Ela refere que se manterá fiel aos Stark e considerará Jon Snow seu rei. 





Face às palavras de Lyanna, os lordes declaram que declinaram o chamamento, porque temiam perder mais homens em vão. Eles pedem perdão a Jon Snow por não o terem acompanhado na guerra. Todos admitem que o bastardo vingou o Norte e percebem que ele está apto para ser o próximo rei. 






(O Norte apoia-o, mas será este o destino traçado para Jon Snow !?)



Recém chegado, Jaime assiste atónito à cerimónia: Meistre Qyburn, nomeado "Mão da Rainha", coloca a coroa em Cersei Lannister, que se sente agora no Trono de Ferro.  





(A Susana comentava: "A Cersei merece estar no trono, só pela atuação [da atriz]. É bem verdade! Cersei usou todos os meios para chegar a este fim. Mas, por quanto tempo ele durará?)



Por fim, vemos Daenerys e os aliados seguindo rumo a Westeros.





(A verdadeira guerra vai começar!)



Gostaria ainda de chamar a atenção para a banda sonora simplesmente perfeita do episódio! De facto, foi um prazer assistir a uma excelente combinação de estética e conteúdo! Esperamos o desenrolar da história com a mesma qualidade no próximo ano :)


Escrito por Mariana Pinto

terça-feira, 28 de junho de 2016

A melhor comédia que não andas a ver: “Broad City”

Fonte: http://www.mytakeontv.com/wp-content/uploads/2014/12/broad-city-season-1-dvd-cover-90.jpg


Antes de mais, permitam que me apresente. O meu nome é Mafalda Neto e faço desde 2011 parte do blogue dedicado a séries de televisão TVDependente (que podem visitar em: www.tvdependente.net).

Quando me convidaram para escrever um texto aqui para o blogue sobre uma série que ainda não se tivesse falado por cá, a minha mente viajou logo para a minha comédia favorita que ninguém vê: “Broad City”.

Comecemos pelo início. “Broad City” é o produto da imaginação de Abbi Jacobson e Ilana Glazer, que se conheceram no afamado Upright Citizens Brigade Theatre, uma escola de teatro de improviso fundada por, entre outros, Amy Poehler. E tudo começou com uma webseries estreada em 2009 e disponível no Youtube, que rapidamente começou a ganhar fãs e popularidade até chegar à atenção de Poehler, que viu o seu potencial e ajudou as meninas a trazer o projecto para o pequeno ecrã.

E se a webseries já era boa (podem ver em: https://www.youtube.com/user/BroadCity), a série conseguiu transportar os elementos que fizeram dela um sucesso para o formato de meia hora de forma exímia e que honra os fãs mais antigos.

Mas o que é “Broad City”? Numa explicação demasiado simplista é a história de duas raparigas nos seus vinte e poucos anos, saídas da faculdade, que procuram entrar no mercado de trabalho e conseguir pagar a renda em Nova Iorque. Até aqui nada de extraordinário. O que torna a série tão boa é a amizade que une Ilana e Abbi e a completa falta de pudores em tudo o que fazem e dizem.

Arrisco dizer que não há, nem houve, uma amizade igual a esta na televisão. Ok, também pode não ser das mais saudáveis, vista a hilariante obsessão de Ilana por Abbi, mas as duas não se chateiam, apesar de nem sempre concordarem, não estão sempre a falar de homens (é raro, até), ficam genuinamente contentes pelos sucessos uma da outra e quando estão juntas apenas se divertem, sem tudo ter de ser um drama ou uma tragédia. E isso é o que diferencia a série de outra série com uma premissa semelhante: “Girls”. Atenção, eu adoro “Girls” e tudo o que Lena Dunham faz, mas enquanto “Girls” tem o problema de exagerar no drama e ser difícil gostar das personagens, em “Broad City” ao primeiro episódio já nos apaixonámos pela awkwardness de Abbi ou pelas excentricidades de Ilana.

Desde a religião (as duas são judias), passando pela homofobia, morte, feminismo, sexo, política, erva ou família em três temporadas já vimos Ilana e Abbi falarem e fazerem de quase tudo, guiadas pelo bom coração que as move e pela capacidade de improviso que o pessoal nascido nos anos 90 é forçado a ter para poder sobreviver sem a ajuda dos papás.

Mas esta não é uma série só para millenials, pois o humor é universal e vamos desde o humor mais físico, ao mais intelectual, passando pelo ridículo e pelo exagerado. Muito menos é uma série só para raparigas (ui, essas etiquetas...), porque, reforço, o humor é mesmo universal e não há nada que Ilana e Abbi não façam por serem raparigas. A sério, literalmente nada e, se não acreditam, vejam o episódio “Knockoffs”.



Fonte: http://i0.wp.com/www.theradicalnotion.com/wp-content/uploads/2016/03/1-1.gif



Transmitida pelo Comedy Central, nos EUA a série já gerou alguma atenção dos críticos e do público, tendo já garantidas uma quarta e quinta temporadas para juntar às três com que já nos presenteou. Prova disso é a participação especial de Hillary Clinton, a candidata democrata à Casa Branca, publicamente apoiada por Glazer e Jacobson, que se junta a uma impressionante lista de convidados especiais. Infelizmente em Portugal é raro encontrar alguém que veja, ou sequer conheça a série, mas se depois deste texto conseguir convencer uma pessoa que seja a ir espreitar já ganhei o dia.

Por último, resta-me agradecer o convite e desejar as maiores felicidades às meninas do Canto Superior Direito, é sempre um prazer ver que ainda há espaço para novos blogues nacionais com qualidade e pertinência!


Escrito por Mafalda Neto. 

Sabes o que estás a usar?

Olá a todas e a todos! 

Ao comprar um produto de cosmética, quantos de vocês dão uma vista de olhos nos ingredientes que o compõem? 
Confesso que, para mim, este é um hábito bastante recente, mas que faz toda a diferença, sobretudo nos cuidados de rosto, pois são esses que atuam diretamente na pele. E, na verdade, "compreender os ingredientes mais comuns nos cosméticos é uma forma de não se deixar enganar por publicidade demasiado cor-de-rosa".

Fonte: http://www.fotosantesedepois.com/locao-caseira-para-limpeza-de-pele/

Existe, portanto, uma grande quantidade de ingredientes considerados fundamentais bem como outros que devemos evitar. Por considerar que este é um tópico quase invisível na blogoesfera, decidi fazer uma lista dos ingredientes (que conheço e sei falar sobre) que devem escolher, conforme as vossas necessidades:

1) Vitamina A: Um dos ingredientes mais conhecidos, pois encontra-se presente em produtos de anti-idade (sob a forma de retinol) e nos tratamentos de acne, manchas, cicatrizes, etc (sob a forma de tretinoína). Além disso, este ingrediente foi já aprovado pela FDA (Food and Drug Admnistration) em como rejuvenesce a nossa pele e é capaz de reverter danos causados.

2) Vitamina E: Tanto a vitamina E como a C são poderosos antioxidantes, ou seja, protegem-nos dos radicais livres (responsáveis pelo envelhecimento e degeneração das células). Nos cosméticos, a vitamina E surge sob a forma de hidratante e regenerador da pele. Podem ver aqui o sérum de vitamina E que uso.

3) Vitamina C: Além de ser antioxidante, também ajuda a combater as manchas de idade, conferindo, assim, luminosidade à pele.

4) Ácido hialurónico: Outro ingrediente muito procurado. Naturalmente, o corpo humano possui esta substância, daí que a nossa pele, enquanto jovem, é muito elástica e firme. Contudo, com o passar do tempo, a substância vai diminuindo e leva consigo a elasticidade e firmeza, o que faz com que apareçam as rugas. Por isso, produtos com este ácido ajudam na manutenção da hidratação da pele, para que fique hidratada, preenchida e luminosa.

5) Ácido glicólico: Este ácido tem ação esfoliante, ou seja, ajuda na renovação da pele. Deste modo, a pele fica com um aspeto mais suave, liso e uniforme e a atuação posterior dos restantes produtos é mais bem conseguida.

6) Ácido salicílico: Este é um ingrediente muito visto em produtos para peles oleosas e/ou acneicas, pois ajuda muito a limpar e a purificar a pele. É caracterizado por ser um regulador da oleosidade e um bom anti-inflamatório.


E o que se deve evitar?

Evito ao máximo usar produtos (seja de maquilhagem, seja cosméticos para a pele/cabelo) com perfume e álcool. É muito difícil fugir ao primeiro, mas não impossível. A minha pele nunca fez reação a produtos com fragrância, ainda assim, tento não comprar. Produtos com álcool não compro mesmo.
Da mesma forma que não compro nada que tenha sulfatos, parabenos e óleos de petróleo (por exemplo, a tão conhecida parafina líquida), porque são substâncias que estão cientificamente comprovadas que causam irritação, comichão, alergia, queimadura, urticária, entre outros. Além disso, todas estas substâncias estão também associadas a problemas cancerígenos.
Outra substância que evito é o cloreto de alumínio, presente em 90% dos desodorizantes. É aquela substância que faz com que um desodorizante seja anti-transpirante. Se algo é anti-transpirante, não vai deixar a nossa pele respirar e isso não é suposto. Ou seja, aquele produto está alterado para não deixar a nossa pele respirar, o que pode causar irritações da pele e lesões nos tecidos. Apesar de não estar cientificamente provado, vários são os estudos que relacionam este composto químico ao cancro da mama e a problemas de infertilidade.

É lógico que não devemos viver obcecados com isto, mas parece-me bem termos conhecimento sobre os produtos que usamos, desde de champoos, sabonetes, pastas de dentes, produtos para o rosto até à maquilhagem! Nem sempre dá para evitar usar produtos com substâncias consideradas tóxicas mas é bom termos essa consciência!

Espero que vos tenha sido útil!
Muitos beijinhos.
Escrito por Sónia Dias.





sexta-feira, 24 de junho de 2016

Mashup de verão






*

E com o verão chegam as músicas que, inevitavelmente, associamos a esta temporada! Deste modo, decidi fazer o meu primeiro mashup... Espero que gostem! À música do verão deste ano, juntei uma do ano passado. Resultado??? Cliquem no play e confiram as minhas escolhas! =D 


*




Susana Ferreira. 

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Os essenciais de verão!

Olá a todas e a todos!

Já celebrámos, oficialmente, a chegada do verão, por isso resolvi dar-vos a conhecer os produtos que eu considero essenciais para esta estação!




Eu sei que toda a gente se gosta de ver com uma corzinha, mas nunca se esqueçam da proteção! O sol é benéfico sim, mas só até certo ponto! Mais vale um bronzeado saudável do que escaldões e, num grau maior, cancro de pele.
Colocar protetor solar demora 2 minutos, gente! 2 minutos que fazem toda a diferença!



Atualmente, uso este, o Leite Sublimador da gama Sublime Sun da L'oreal! Cheira muito bem, é leve, não é nada pegajoso, não o sentimos na pele (ele promete mesmo dar um acabamento "segunda pele"). Eu sou branca, mas não pálida, por isso SPF 30 para mim chega, mas se forem mais branquinhas usem SPF 50! Quem ainda não conhece esta gama da L'oreal faça o favor de pesquisar!
Custou 14€ e vende-se em qualquer hipermercado.




Água termal!! Palavras para quê? Já vos expliquei tudo detalhadamente aqui! Anda comigo para todo o lado!




Não descurar do protetor labial! A pele dos nossos lábios é muito fina, seca muito mais rápido do que tudo o resto! Sempre usei o protetor labial da Labello e agora não há mesmo desculpa para não o utilizar... O produto foi melhorado e já não ficamos com aquela típica "boca branca"! Adoro o cheiro!
Encontra-se em qualquer hipermercado e o seu preço ronda os 2€!




Quando já estou morena, deixo de usar o protetor solar e uso este óleo seco em formato de spray! Mas sempre protegida! Tem igualmente SPF30 e protege contra os raios UVA/UVB.
Confesso: faço esta troca porque, estando morena, gosto de ver o óleo a brilhar na pele! E quando vamos à água e ficamos com aquelas "gotinhas" do óleo na pele... Parolices, eu sei. Mas este produto embeleza o nosso bronzeado, fica mesmo muito bonito.
Cheira igualmente bem e não é, de todo, um óleo pesado, por isso é que eu o adoro!
Também se vende em qualquer hipermercado e custa 15€!





Este produto não me acompanha só durante o verão! Anda comigo durante o ano todo, é, definitivamente, um dos meus produtos preferidos! Para quem nunca ouviu falar, é também um óleo protetor mas para o cabelo! Eu coloco-o antes de ir para praia e sempre que vou à água, seja do mar ou piscina! Funciona como uma camada protetora contra a exposiçao solar, o sal, o cloro e o cheiro... TÃO BOM! É mesmo bom! Uso-o no inverno porque o cabelo realmente fica acetinado, mas também porque o cheiro me faz lembrar sempre o verão!
O seu preço ronda os 10€!
A par com este spray, decidi investir numa máscara para o cabelo, no sentido de evitar que ele fique danificado/seco/sem definição devido ao sol! É esta (cliquem para ver), mas na versão 'summer edition' e estou a gostar mesmo muito!




Por último, mas não menos importante: espelho e elástico para o cabelo! Ambos são fundamentais em qualquer parte do ano, é certo, mas parece que no verão não nos largam! Este é um espelho barato da Primark e o elástico é da marca Invisibobble, conhecem? Aqueles elásticos que prometem não partir tanto o cabelo! Compro-os em Parafarmárcias e custam por volta de 3€! 

Quero referir ainda que devemos beber água!! Pessoal, a sério, bebam água! 1,5l por dia, é mesmo importante, sobretudo no verão em que estamos mais desidratados! Além de nos fazer muito bem, vocês notam imensas diferenças, seja no cabelo, seja na pele, por exemplo! Onde eu sinto mais diferença é na pele, sem dúvida! Por isso, tentem estar sempre hidratados! O vosso corpo irá agradecer-vos! :)

Gostaram? Quais são os vossos produtos de verão? 
Muitos beijinhos.
Escrito por Sónia Dias.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

Eu sei o que NÃO fizeste o verão passado!

Todos os que tiveram a experiência de elaborar uma tese, monografia ou outro/a, viram passar o verão daquele ano pela janela da secretária onde permaneceram dias a fio. Certamente, se identificarão com as seguintes situações: 




 Ir à praia/piscina

É claro que demos as nossas escapadelas, de outra forma o tédio absoluto tomaria conta de nós. Contudo, as horas estavam contadas, e a pressão falava alto! Pegar mil vezes no telemóvel e ver se a/o orientador/a enviou uma sms ou um email, quem não?









➜ Passear/Estar na esplanada

Os amigos tinham o precioso dever de nos tirar de casa e fazer espairecer. Nos primeiros dez minutos, bebidas, conversa, sol... e depois, a TESE! A consciência não nos dava descanso:









➜ Colocar séries em dia

Confessemos, em relação às séries, as engenhosas manobras permitiram que não acumulássemos episódios. Entre um parágrafo e outro lá se via mais um episódio de Game of Thrones. Porém, ser como dantes e assistir a duas temporadas num dia é que já era impossível!









➜ Ir a um festival

Algo inevitável, o ano da TESE foi aquele em que esteve em Portugal, o cantor ou a banda que tanto ansiávamos ver. Na verdade, conseguíamos até imaginar o momento em que em pleno concerto, o/a orientador/a nos ligaria:

- Então, já concluiu o capítulo? 
- Gostaria de ver consigo algumas reformulações que fiz na parte x.










➜ Aproveitar as festas da aldeia/vila/cidade

Era muito bom se fosse verdade! Estamos em agosto, há uma TESE para rever e ser aprovada pelo/a orientador/a. A não ser que a queiramos entregar no ano seguinte e continuar a ser um bicho da caverna até lá -.-







Aposto que gostariam de repetir este verão tão dinâmico e sobretudo, relaxante :D Ora, é caso para dizer: formação, a quanto obrigas!


Escrito por Mariana Pinto

sexta-feira, 17 de junho de 2016

«Tu não és tu»

Fonte: http://spinoff.comicbookresources.com/wp-content/uploads/2015/11/alice-poster3.jpg


Se há coisa que me prende são as obras de carácter fantasista, como esta. Eu e o imaginário, o imaginário e eu... Temos uma relação séria! Tão séria que decidi escrever a minha tese de Mestrado sobre ele. Apesar de terem sido tempos duros (não vou mentir), sinto algumas saudades... Sobretudo porque aprendi muito acerca de um tema que sempre me fascinou. 

Quando falamos de imaginário é difícil não pensar em Tim Burton e nos seus mundos peculiares e encantadores. Apesar de não ter realizado este segundo filme da Alice, é inegável a sua presença ainda que no papel de produtor. Aliados a Tim Burton vêm, como já é hábito (quase estranharíamos se assim não fosse), Johnny Deep e Helena Bonham Carter. Com uma equipa destas, já acreditamos ser impossível sair o tiro pela culatra.  


Fonte: http://www.thefashionisto.com/wp-content/uploads/2015/11/Alice-Through-the-Looking-Glass-Poster-Red-Queen-Helena-Bonham-Carter.jpg


Alice (agora capitã de um navio, com a sua própria tripulação) atraca em Londres, depois de uma aventura pela China. Compelida pela lagarta (que agora já é borboleta) Absolem*, atravessa um espelho mágico e regressa ao País das Maravilhas. Todos a recebem com saudades, mas também com alguma preocupação. 

*A voz da borboleta Absolem é a do eterno Professor Severus Snape, Alan Rickman. De realçar que o filme é em sua memória.   

O Mad Hatter já não é o mesmo. Desde que descobriu o primeiro chapéu que fez e que ofereceu ao seu pai, pensa que a sua família ainda pode estar viva. Apesar da imensa ternura que Alice sente pelo amigo, fá-lo ver que isso é um acontecimento impossível e que nada pode fazer para o ajudar. Visivelmente incomodado e desiludido com o uso da palavra ''impossível'', o Chapeleiro ordena que Alice saia da sua casa e diz-lhe algo como:


«Tu já não és tu! A minha Alice acreditaria em mim.»



Fonte: http://img.huffingtonpost.com/asset/scalefit_630_noupscale/563fa18c1400006f023ca32e.jpeg


Vendo o desespero do Chapeleiro, Alice toma a sua resolução. Com as indicações da Rainha Branca, a menina prometida do País das Maravilhas vai, literalmente, lutar contra o Tempo para reaver a família do seu amigo. É uma aventura a não perder, sobretudo pelo ensinamento que nos dá. A verdade é que «não podemos mudar o passado, só aprender com ele»! Ao contrário do que apregoamos, o Tempo não é ladrão de tempo. Mas não vos dou mais pistas porque o mais interessante é chegar a estas conclusões à medida que vemos o filme. =) 



Fonte: http://cdn.collider.com/wp-content/uploads/2016/03/alice-through-the-looking-glass-poster-time.jpg


O final é extraordinário, selado com mais uma frase icónica do nosso Chapeleiro ;) Arrisco-me a dizer que, dos dois, este foi o meu filme favorito. A viagem que Alice faz no tempo permite que o espectador conheça novas histórias, como por exemplo, o motivo do desentendimento entre as duas irmãs, Rainha Branca e Rainha Vermelha, e a razão pela qual, no episódio do Chá, os convivas estavam, eternamente, à espera da prometida.  



Fonte: http://www.fashiongonerogue.com/wp-content/uploads/2015/11/Anne-Hathaway-Alice-Through-Looking-Glass-Movie-Poster.jpg


Em termos visuais, meu deus... TANTA CRIATIVIDADE JUNTA!!!! =D 

São bastante evidentes as influências surrealistas de René Magritte e do ocultismo de Giuseppe Arcimboldo. Por outro lado, no que diz respeito aos cenários, jamais me esquecerei da sala dourada dos relógios, onde o Tempo decide a morte dos habitantes do País das Maravilhas. (Esta foi a melhor foto que consegui da sala a que me refiro).



Fonte: http://img.lum.dolimg.com/v1/images/videothumb_alicethroughthelookingglass_trailer_bb52eb9b.jpeg?region=0%2C0%2C1024%2C576


Outra grande evidência é a caracterização das personagens. A maquilhagem é um ponto-chave deste mundo maravilhoso. Já sabem que aqui no CSD somos as três loucas por produtos de lábios e, como tal, o batom da Rainha Branca não passou despercebido =D



Fonte: http://vignette4.wikia.nocookie.net/aliceinwonderland/images/c/c2/Whitequeen4.jpg/revision/latest?cb=20100302235038&path-prefix=es


Fui à procura deste tom assim meio vampy e encontrei um lápis da Astra, o Jumbo Lipstick 04! Até é parecido, não? 




Ficaram com curiosidade? Já viram o filme? Qual é a vossa opinião?

Prometo que vale a pena! =)



Escrito por Susana Ferreira.