segunda-feira, 23 de maio de 2016

Livros que lemos por obrigação...


... Mas que até gostámos! 


Fonte: http://lovelace-media.imgix.net/uploads/1391/709d7b20-80c1-0133-0cea-0e34a4cc753d.gif?


[Um parêntesis: Esta manhã acordámos com a notícia de que, em 2017, vai estrear o live action de Beauty and The Beast!! =D Alguém está entusiasmado??]



Vocês sabem... A escola e a Faculdade são sempre baús de experiências que podemos remexer, de vez em quando, e que até nos dão laranjas para fazer um sumo interessante!

Sendo assim, decidimos fazer um TOP 3 dos livros (não estão por ordem) que tivemos de ler mas que não nos arrependemos porque nos passaram uma mensagem positiva!

Se se lembrarem de algum livro de que tenham gostado particularmente ou que tenha mudado a vossa perspetiva em relação a alguma coisa, não se esqueçam de nos dizer nos comentários! ;) 



Susana



1. Meu Pé de Laranja Lima. Li-o no 10.º ano para um contrato de leitura e acho que deve ter sido a primeira vez que brotei por causa de um livro. Odeio chorar com filmes e livros, sinto-me um bocado parva mas depois penso: se é pela arte, vale sempre a pena =D 


2. Queimada Viva. Foi com esta obra que ganhei consciência de que as mulheres ainda tinham um longo caminho a percorrer, no que diz respeito aos seus direitos. É um relato, sem pudores e sem quaisquer floreados, de uma mulher da Cisjordânia que foi regada com gasolina e que viu o seu corpo incendiado. Tudo porque, aos dezassete anos, se apaixonou antes do casamento. 


3. Memorial do Convento. Olhei para este livro (na altura era um mero livro, aquela banalização típica de adolescente) e pensei «Por favor, não sejas como Os Maias!». E não foi. A experiência com Os Maias não foi muito positiva mas, no ano seguinte, O Memorial compensou! Foi aqui que me apaixonei pela minha figura de estilo favorita: a ironia. Saramago acerta em cheio! Faz aquele Ba Dum Tss que nos desconcerta! Estudei esta obra com tanto cuidado que o marquei, todo certinho, com Post-its! Awww ... Tão organizadinha que a menininha era! 





Mariana

Os três livros escolhidos foram objeto de análise em cadeiras da Faculdade. Infelizmente, na minha escola prescindiram de uma atividade tão interessante como são os "Contratos de Leitura" e deixaram que nos ficássemos pelos temidos "Livros de leitura obrigatória".


   

Fonte: http://www.caminho.leya.com/fotos/produtos/500_9789722114769_niketche_poli.jpg

1. Frankenstein. (Sim, é a milésima vez que falo dele, ainda não perceberam a dica :D) Como a maioria de vós, conhecia a história desta personagem através dos desenhos animados. Quando foi pedido que a lêssemos numa cadeira de opção, descobri um dos livros da minha vida. Agora que penso, acho que foi aí que percebi a minha tendência para as histórias de horror. 
Mary Shelley oferece-nos uma reflexão em campos como a educação e a filosofia, ao mesmo tempo que nos dá uma lição de humanidade!

2. Menina e Moça ou Saudades. Este é um livro com um estilo puramente medieval. Existe um cruzamento de histórias que se torna confuso, mas a narrativa principal e a própria linguagem (de tal forma trabalhada que nos parece poesia) contribuem para uma aura própria de um universo fantasioso. É bonito, senhores, é bonito :D

3. Niketche - Uma história de poligamia. Se gosto dele é sobretudo pela autenticidade que aborda as questões de género, partindo de uma caso particular. Ramy oculta relações com diversas mulheres, estas representativas da pluralidade cultural de Moçambique. A autora mostra a união das personagens femininas no combate a um sistema patriarcal. 


Sónia

1. O Principezinho. O livro da minha vida! AHAHAH A sério, eu morro de amores por este livro... Ensina-nos tanto mas de uma forma tão simples! São grandes e importantes as lições de vida que tiramos ao lê-lo! É imortal, toda a gente tem de o ler (até aqueles que não gostam de o fazer)!


Fonte: http://mantadehistorias.blogspot.pt/2015/07/a-minha-opiniao-o-principezinho.html


2. Uma Abelha na Chuva. Na faculdade, tive uma cadeira em que, basicamente, os cinco livros que li para ela tinham dois temas em comum: os vários tipos de opressão e o valor da liberdade. Só por aí eu já sabia que ia gostar. 
Neste livro, aliou-se o tema da opressão ao movimento neo-realista, como forma de consciencialização, necessária para transformar a sociedade do antes 25 de Abril. Livro de leitura fácil, na minha opinião.


Fonte: http://www.fnac.pt/Uma-Abelha-na-Chuva-Carlos-de-Oliveira/a142536


3. Levantado do Chão. Segue as mesmas diretrizes do livro que mencionei acima... Ganha pontos extra por ser de Saramago. Conta-nos a história de uma família de camponeses pobres, os Mau-Tempo, e que são os escolhidos pelo autor para relatar a difícil relação do homem com a terra e com o desenrolar dos acontecimentos por ela motivados. 
São, também, testemunhas e combatentes de lutas como a chegada da República, a Primeira Guerra Mundial, a Guerra da Espanha e o 25 de Abril, onde contarão a história de Portugal de “uma outra maneira” – baseada naquela que não foi documentada e que está fora dos registos oficiais. 
Apesar de extenso, foi um prazer lê-lo!


Fonte: http://www.fnac.pt/Levantado-do-Chao-Jose-Saramago/a5440


Menções honrosas: Memorial do Convento, O Delfim, O Gato Malhado e a Andorinha Sinhá, Frankenstein e As Intermitências da Morte.



Canto Superior Direito. 

Sem comentários:

Enviar um comentário