quinta-feira, 26 de maio de 2016

7 coisas que temos de parar de escrever!


Decidi fazer a versão 2.0 deste post, desta vez com alguns erros que ainda não superámos ao nível da escrita! Vamos lá começar a caprichar nessa ortografia porque ninguém quer ler «hoje voçê está muito linda!» ou «ola lindo será que pudemos ir tomar um cafe estou coriosa para te conheçer»! Para além de serem ''cantadas'' terríveis, os erros não ajudam! 

Provavelmente estou a exagerar nos exemplos, contudo a escrita é uma atividade que praticamos com regularidade e, como tal, há que cuidar bem dela. No fundo, a língua portuguesa é nossa amiga e nunca nos fez mal. Tem as suas singularidades, como qualquer um de nós, mas é a língua de Camões, de Padre António Vieira, de Gil Vicente, de Eça de Queirós, de Fernando Pessoa e de tantos outros autores que nos enchem de orgulho. 

Serviço público em 3, 2, 1

Fonte: http://stream1.gifsoup.com/view6/20151022/5261101/maze-runner-the-scorch-trials-i-know-we-can-make-it-o.gif


1. Da-mos.

O ''da-mos'' tem muitos familiares... O ''pode-mos'', o ''faze-mos'', o ''come-mos'', o ''bebe-mos'', enfim... Mas não pode ser! Esta família precisa de ser assassinada! Ou exilada, se preferirem algo menos violento. 

Muito bem, 

damos --> 1.ª pessoa do plural do verbo dar. Tudo juntinho! 

A partir de hoje, vamos decorar assim: mos > sempre juntinho à forma verbal | -nos > separamos com o tão desejado hífen (Ex. Eu e o Ezequiel damo-nos muito bem.)!!





2. Disses-te. 

Vamos lá dizer «No mais Musa, no mais» a este erro DEMASIADO comum!!! 

Se o vosso intuito é conjugar os verbos no Pretérito Perfeito, então:

Tu disseste, tu fizeste, tu compraste, tu telefonaste, tu partiste, tu viajaste,... Certo? Vamos lá deixar de lado o fétiche que temos com o hífen!!! 





3. Voçê. 

PÂNICO!!!! 

Na escola sempre nos ensinaram que junto de um «-e» ou de um «-i», o «c» não leva cedilha! 





4. À ou há? 


Sem medos! 

Escrevem com «h» quando fazem referências temporais ou quando a vossa frase remete para um sentido de existência

Exemplos: dois anos fui a Roma. | muitas flores neste jardim. 
       




5. Devia de haver. 

Bom, quando querem usar expressões como esta, é favor eliminar a preposição «de»

Exemplos: Devia haver uma lei para este caso! | Gosto de fazer as coisas como deve ser





6. Enquanto que/ quase que. 

Se eliminarem o «que», está tudo ótimo! O «que» não é preciso para nada! 

Exemplos: Enquanto fui almoçar, a Joana adiantou o trabalho. | Eu comi uma laranja, enquanto a Rita preferiu uma maçã. | Quase entornei o copo de água! 




7. Uma mantinha para aquecer.

O verbo ''manter'' é tramado! Muita gente ''mantia'' muita coisa, no Pretérito Imperfeito! Mas não! É mesmo MANTINHA!

Pensem: Manter (man + ter). Se o verbo ''ter'' se conjuga '' eu tinha'' (e não, eu ''tia''), na 1.ª pessoa do singular do Pretérito Imperfeito do modo Indicativo, então: 



''manter'' --->  ''eu mantinha''




Fonte: https://m.popkey.co/7bbd13/LmGYG.gif


Escrito por Susana Ferreira.



2 comentários:

  1. Muito bom! Adorei esta vossa intervenção acerca do mau português!

    ResponderEliminar