quarta-feira, 16 de março de 2016

Entrevista: 30 Anos de Dragon Ball

Fonte da imagem base: http://mb.web.sapo.io/3cf61f45942396364f8ae2bd47f9c7098483d249.jpg

Este ano, o anime mais famoso do mundo completa 30 anos e, por respeito à nossa infância, tínhamos de assinalar este aniversário. O CSD decidiu entrevistar o Diogo Pereira, um jovem de 24 anos que tem Doutoramento em Dragon Ball. Visivelmente apaixonado pelo universo de anime, o Diogo não hesitou em responder às nossas perguntas. Ora leiam! ;) 

P.s. A entrevistadora é completamente iletrada no assunto, no entanto, o entrevistado teve a amabilidade de explicar, pormenorizadamente, todos os termos mais''técnicos''. 

Diogo Pereira, na Comic Con 2015, ao lado de um cosplayer de Tartaruga Genial

CSD - Antes de mais, gostaria de agradecer-te, em nome do CSD, por seres o nosso primeiro entrevistado. As perguntas são descontraídas, é apenas uma conversa, é ''na boa'', já sabes (risos).

D. - Então, para começar, vou só aqui fazer uma referência específica ao Dragon Ball Z, em que o Goku faz a demonstração da técnica de teletransporte. Faz o seu gesto habitual, com os dois dedos na testa e diz «Agora silêncio que se vai cantar o fado»! (risos).

CSD - Então vamos já para a primeira pergunta! Quando é que começaste a ver animes e por que motivo esse universo te fascinou e continua a fascinar?

D. - (Mind Blowing) BOOM! (risos). Antes de mais, sempre gostei de ver animes... Desde pequeno que vejo e acho que vou ver até ir para a cova (risos). Porquê? Porque acho que faz parte do nosso imaginário e porque os animes são transversais, ou seja, são dos oito aos oitenta anos. No caso do Dragon Ball, isso acontece. E depois não nos podemos esquecer das partes mais «sérias», mais educativas. Especificamente no Dragon Ball Z, há uma saga que me interessou muito por causa da sua história mais «séria». Para além do Dragon Ball, não nos podemos esquecer também d'Os Cavaleiros do Zodíaco, Oliver e Benji, o Doraemon, ... Ah! Estava aqui a esquecer-me... Também tem de se levar muito a sério o Samurai X!
E pronto... Conforme vou pesquisando, vou obtendo mais informação e tendo mais curiosidade... Entre um episódio perdido d'Os Cavaleiros do Zodíaco estava o Naruto... E a culpa também é da minha irmã! Se eu sou assim, vocês não imaginam como é a minha irmã!!! A minha irmã fez parte de um clube de fãs, através da Nesquik, do Dragon Ball!! (risos).

CSD - Já agora, para quem se quer iniciar neste universo, qual o anime que aconselhas? 

D. - Isso tem muito a ver com o teu estilo de vida, com os teus gostos específicos,... Por outro lado, também há a hipótese de tentares alguma coisa que não tem nada a ver contigo! Para quê? Para te surpreenderes! Há mil e uma escolhas se te quiseres ir habituando, se te quiseres ir apercebendo do grafismo, do tipo de história, das referências à cultura japonesa,... Mas já que o tema da conversa é o Dragon Ball, pois que seja o Dragon Ball! O Dragon Ball é a inspiração de muitos animes atuais! Também ando a ver o One Punch Man... Aquilo é de partir o coco a rir! Quem olha para ele pensa que é uma pessoa banal, mas o que é certo é que, quando ele muda de figura, a caso muda de figura MESMO! Mas o que recomendo, em primeiro lugar, é o Dragon Ball, pelas memórias, pelo sentimento e pelo envolvimento.

CSD - Apesar de já teres adiantado uma resposta para esta pergunta, o que achas, então, que o Dragon Ball tem de especial para ter arrastado multidões, ao longo dos anos? 

D. - Uma resposta para essa pergunta seria interminável. Bom, para começar, o envolvimento entre as personagens... As amizades que se vão construindo ao longo do tempo, as uniões... Por exemplo, quando aparece um inimigo comum, unem-se forças, dá-se o braço a torcer e elimina-se o inimigo... Foi isso que aconteceu com uma das duplas mais importantes do Dragon Ball, o Goku e o Vegeta! O Goku é aquela pessoa que está sempre tudo bem para ele, enquanto o Vegeta comparo-o um pouco com o Wolverine: ambos são casmurros, mas são muito bons no que fazem! Mas, voltando à questão, considero que as pessoas se identificam, sobretudo, com a trama, com as situações engraçadas, com o tipo de lutas e com a evolução das personagens. Por exemplo, o Goku e o Vegeta, nunca esperei que isso acontecesse, mas eles estão ao nível dos deuses, isto é, fazem a sua transformação em deuses... Isso verifica-se, também, através da nova coloração de cabelo! Todos bonitos e tal! (risos).

CSD - Qual a personagem de que mais gostas ou a personagem com que mais te identificas?

D. - Isso é complicado! Bem, se for a comer, é com o Goku... Porque eu como, como, como, como,... (risos). Acho que me identifico um pouco com todas as personagens, são todas empenhadas e não pensam em desistir! E eu sou um pouco assim! Não desisto de qualquer maneira. Também me considero um amigo e na história também há muita entreajuda...
[A namorada Rita interrompe e diz «Mas se tivesses de escolher só uma qual era? Não és capaz! Eu conheço-te! O Diogo é aquele gajo que tem "sim", "não" e "não sei" e escolhe a opção "não sei" (risos)]. Não sei responder porque tenho uma ligação especial com todas as personagens, até mesmo com o Yamcha, que foi uma das primeiras personagens a aparecer no Dragon Ball clássico, e que nem era tão dotada quanto as outras.

CSD - Dragon Ball Z ou Dragon Ball GT?

D. - Na verdade, estamos a falar de coisas distintas. Dizendo assim diretamente, o GT não faz parte da história original. Os fãs tanto fizeram força para que houvesse algo depois do Z, que acabou mesmo por haver. O criador, Akira Toriyama, fez uma participação no GT, mas o GT não é uma continuação da história original. Não quer dizer que isso seja mau! Até gostei muito porque no GT vemos, por exemplo, a evolução de alguns elementos. Mas a escolher, escolho o clássico. No Dragon Ball clássico vemos o pequeno Goku ainda ''pura inocência'', ao ponto de baixar as calças, do nada (risos). Agora também já há o super eesse sim, é a continuação do clássico!

CSD - Em que situações dava jeito ter uma nuvem debaixo dos pés?

D. - AHH! (risos). Isso foi um dos melhores presentes que Tartaruga Genial deu ao Goku! Eu vou explicar: a nuvem pertence ao posto fronteiriço, isto é, quando o pessoal morre, passa por um pseudo-São Pedro e, há uma parte no Z, em que o Goku caminha por uma serpente e, ao lado dessa serpente, está uma enorme nuvem amarela! Salvo erro, penso que a nuvem surgiu daí! Depois, o Tartaruga Genial tratou de a dar de presente ao Goku... Há uma particularidade acerca dessa nuvem: só pode andar na nuvem mágica quem tem o coração puro! O Goku é ingénuo e inocente, as coisas que ele faz, fá-las por bem, ele é puro! Mas voltando à pergunta, dava jeito uma nuvem mágica para me livrar do trânsito!! E, claro, ter a oportunidade de andar a um velocidade estonteante, dado que a nuvem ultrapassa a barreira do som, se não me engano!

CSD - Qual o poder do Son Goku que mais “invejas”?

D. - Hmmm ... Um poder... Eu vou falar antes de uma capacidade! Ele consegue juntar a energia universal, também conhecida por genki dama, ou seja, ele apela a todos os seres vivos, a todas as fontes de energia,... Já devem ter reparado que, em alguns memes, o pessoal estica os braços para cima... Isso é sinal de apelo à energia! Acho que esta capacidade causa muita ''inveja'' ao universo da DC e da Marvel.
Ainda em relação a este tema dos poderes, todas as personagens dominam a técnica básica de voar, também denominada por "dança no ar". Mas o grande legado é, sobretudo, a técnica da onda de choque, a conhecida ''kamehameha''.

CSD - Se fosses o Tartaruga genial, qual seria a mulher a quem não resistirias?

D. - (risos) Sim, ele é um velho ''tarado" e quase senil... Mas ainda tem muito para ensinar. O Tartaruga Genial era um grande amigo do avô adotivo do Goku,... [A namorada Rita interrompe, uma vez mais, e diz «Tens de responder à pergunta, não andes aí a fugir!» (risos)]. Pronto, ele anda sempre "desertinho" para pôr as mãos no rabo de algumas personagens (risos). [A Rita insiste «E qual era aquela a quem você não resistiria??» e o Diogo inclina-se para a Rita (risos)].

CSD - Em que situações te apetece responder no "bom" tom do Vegeta?

D. - Sim, sim, sim, sim... Naquelas situações em que ... (faz cara de raiva) Em que apetece pisar "vermes verdes"!!

CSD - Se te convidassem para dar voz a uma personagem (dobragem), qual seria? Porquê?

D. - (pensa) Dar voz a uma personagem... Temos o Joaquim Monchique, o Henrique Feist, o João Loy ... Bem, só de ouvir a voz do João Loy pensa-se logo "Vegeta, és tu que estás aí?"... Mas recordo-me bem que o Joaquim Monchique adaptou duas músicas, "Ali Bubu, Bubu Bali" e "Continua chamando-me assim, Bubu" (risos)... São pérolas! Mas para dar voz escolhia... Ah! Desculpa estar a cortar a conversa! Mas tenho de dizer que, na versão portuguesa, usam muito a pronúncia do Norte... Com a pronúncia do Norte, ainda fica mais engraçado! Agora sim, para dar voz a uma personagem, escolhia o Gohan ... O Gohan faz-me lembrar um pouco de mim, quando era pequeno... Era um pouco choramingas mas, depois, mostrou aquilo que era verdadeiramente!

CSD - Obrigada Diogo!

D. - Obrigado e até a uma próxima entrevista, quem sabe!



Uma entrevista CSD 

Entrevistadora: Susana Ferreira
Entrevistado: Diogo Pereira
Entrevista transcrita por Susana Ferreira.

Sem comentários:

Enviar um comentário