segunda-feira, 1 de fevereiro de 2016

7 coisas que devem saber acerca dos vossos felinos

Acabei de ler um livro muito interessante, intitulado «Alfie – O Gato do Bairro». Adoro gatos e senti que este romance me iria ajudar a compreender melhor a psicologia destes felinos. Não menosprezem os vossos gatos! Acreditem que são criaturas inteligentíssimas! 

Fonte: http://images.portoeditora.pt/getresourcesservlet/image?EBbDj3QnkSUjgBOkfaUbsKIiGhhTnv74wHCxfUMk1OhjqHVpKRzg6ZY0EnbHEJKm&width=275

Com base na obra de Rachel Wells e, consequentemente, no testemunho do gato Alfie, decidi reunir sete tópicos que devem reter.

1 - PERDA e ABANDONO. Eu diria que são duas coisas que arrasam a autoestima dos nossos animais de estimação.
«Todavia, aprendi recentemente que a vida pode ser muito cruel. Um dia, há algumas semanas, a Margaret não se levantou da cama. Sendo um gato, não fazia ideia do que se estava a passar e do que devia fazer e, assim, deitei-me ao lado dela e pus-me a miar a plenos pulmões. Felizmente, era o dia da visita da enfermeira que tratava da Margaret uma vez por semana e, quando ouvi a campainha, saí relutante de ao pé da Margaret e saltei para a rua pela gateira. (…) Fiquei a fazer companhia à Margaret, sabendo que a tinha perdido para sempre (…). Algum tempo depois, apareceram uns homens que a levaram no meio dos meus miados incontroláveis. Não me deixaram ir com a Margaret e foi nesse momento que compreendi que a minha vida, tal como a conhecia, tinha chegado ao fim.» - Alfie.

Fonte: http://www.oversodoinverso.com.br/wp-content/uploads/2014/04/gatos-tristes-2.jpg

2 - Assegurar a SOBREVIVÊNCIA e MIMOS. Os gatos não são traiçoeiros como, comummente, se diz! Tal como os humanos, os gatos precisam de assegurar a sua subsistência.  
«Talvez pudesse ajudar a Claire tanto como ela a mim. Avancei e aninhei-me contra ela, pousando suavemente a minha cabeça no seu regaço. Ela afagou-me mecanicamente e, embora continuasse a chorar, sabia que lhe estava a oferecer o conforto de que ela necessitava e ela estava a fazer o mesmo por mim. Nesse momento compreendi, sem sombra de dúvida, que éramos almas gémeas. Tinha regressado a casa.
(…)
Há uma semana que estava a viver com Claire; tínhamo-nos habituado a uma rotina bastante confortável, embora não totalmente salutar. Ela chorava constantemente e eu aninhava-me contra ela com frequência, o que se adaptava perfeitamente à minha maneira de ser. Eu adorava mimos e ela tinha muito que recuperar.» - Alfie. 

Fonte: http://portaldocat.com.br/gatos/wp-content/uploads/2015/05/gato-carinho.png

3 – INSTINTO. Pois é! Na dúvida, vão pelos vossos gatos!
«(…) A minha primeira impressão dela foi agradável e os seus olhos tristes cativaram-me profundamente. O meu instinto de gato disse-me que ela precisava de mim tanto como eu precisava dela. Como a maioria dos gatos, não julgava as pessoas com base na aparência; nós, os gatos, favorecemos a personalidade e, em geral, temos um talento especial para saber quem é bom e quem é mau.» - Alfie. 

Fonte: http://i.giphy.com/FJeLcMnPugY1i.gif

4 – PRESENTES. Se algum gato deixar um rato ou um pássaro morto à entrada da vossa casa, saibam que vos está a tentar cativar ;)   
«Mais tarde, nesse dia, depositei o pássaro no capacho, como tinha feito com o rato. Era impossível que o Jonathan não percebesse agora que eu queria ser seu amigo. Sentindo-me bastante feliz, decidi caminhar até ao fim da rua, para me refastelar ao sol.
(…)
(…) talvez fosse altura de arranjar outro presente para o Jonathan. Afinal, agora que estava a conquistá-lo, precisava de intensificar a minha ofensiva de charme.» - Alfie

Fonte: https://lella.files.wordpress.com/2012/01/puss-in-boots.jpg 

5 – São ótimos COMPANHEIROS para as crianças.
« - Mas eu ouvi dizer que os gatos matam bebés. – Gemi como se me tivessem batido. Já tinha sido acusado de muitas barbaridades; de matar pássaros, ratos e até, em caso e necessidade, um ou outro coelho, mas nunca tinha matado um bebé. Longe de mim tal pensamento.
(…)
Nunca me esqueceria do dia em que o Aleksy chegou da escola com um certificado por ter escrito uma composição sobre o seu melhor amigo e esse amigo era eu.» - Alfie.

Fonte: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/originals/ca/bf/80/cabf80539c52bbfd14be25c42d799dc1.gif 

6 – AGRESSIVIDADE. Se alguém for agressivo com os vossos gatos, digam bye bye. Certamente, não é boa pessoa e nada impede que, um dia, a vítima sejas tu. 
«Corri para a sala de estar e saltei para o colo do Joe. Ele ficou surpreendido e depois, tal como eu previa, furioso. 
- Sai de cima de mim, bicho de merda – gritou ele, e eu bufei-lhe antes de o atacar e lhe arranhar o braço. Fechei os olhos, prevendo o que ia seguir-se. 
- Maldito gato estúpido, odeio-te – disse ele, atirando-me pelo ar para o outro lado da sala. Encolhi-me numa bola e, quando me senti a cair, estiquei as pernas e aterrei em pé. Ouvindo a Claire a entrar em casa, pus-me a miar com quantas forças tinha.
O Joe atravessou a sala e desatou a dar-me pontapés atrás de pontapés. A dor era tão intensa que já não conseguia gritar. 
- Oh, meu Deus, que é isto? Larga-o filho da mãe, larga-o, ouviste? – ouvi a Claire gritar antes de ficar tudo negro.» - Alfie.

Fonte: http://4.bp.blogspot.com/-NJr3ucSWrIk/VNP39jm1STI/AAAAAAAAGLw/kXGi98H5bMM/s1600/anigif_enhanced-buzz-14054-1359663268-5.gif


7 – FAMÍLIA. Os gatos são parte da família e são criaturas adoráveis. Subscrevo as palavras da autora, quando, nos agradecimentos, diz
«Finalmente, aos gatos que fizeram parte da minha família durante toda a minha vida. Este livro é para todos eles; foram a minha família, os meus amigos, a minha inspiração e, em muitos momentos, o meu apoio. Não são simplesmente animais de estimação, são muito mais do que isso».
 :’)
Esta é a Laura Júlia, uma das gatas cá de casa. A que mais assemelho ao Alfie, por ser bastante comunicativa.
Cuidem dos vossos gatos ;)  



Escrito por Susana Ferreira. 

Sem comentários:

Enviar um comentário