segunda-feira, 18 de janeiro de 2016

Terapia


Fonte: http://forum.atelevisao.com/uploads/monthly_2015_12/12295512_10208265583416366_7724366047833953586_n.jpg.1c42cf2faa7efde6e3932af66bf269d1.jpg

Apanhei, por acaso, a promoção desta série da RTP 1 e pensei «ora aqui está uma coisa que pode ser muito interessante!». De facto, não me enganei. Primeiro, uma série portuguesa num canal generalista português é uma preciosidade, depois, a temática é bastante apelativa e intemporal. 

De segunda à quinta, sentam-se, no sofá do psicoterapeuta Mário Magalhães (Virgílio Castelo), pessoas reais com histórias perfeitamente verosímeis.

Fonte: http://media.rtp.pt/terapia/wp-content/uploads/sites/53/2015/12/soraia1.jpg

À segunda-feira, temos a Laura (Soraia Chaves), uma médica que apresenta sintomas de transferência erótica, isto é, usa a sedução como mecanismo de defesa, de modo a bloquear os sentimentos que, verdadeiramente, a consomem.

Fonte: http://media.rtp.pt/terapia/wp-content/uploads/sites/53/2015/12/nuno1.jpg

Terça é o dia do Alexandre (Nuno Lopes), um sniper que, acidentalmente, tirou a vida a uma criança, não sente culpa por isso e vive obcecado com a perfeição.

Fonte: http://media.rtp.pt/terapia/wp-content/uploads/sites/53/2015/12/catarina1.jpg 

À Quarta assistimos à sessão da Sofia (Catarina Rebelo), uma ginasta de dezasseis anos que mantém uma relação frágil com a mãe. No entanto, fala do pai e da família do seu treinador com demasiado entusiasmo para o que seria expectável.

Fonte: http://media.rtp.pt/terapia/wp-content/uploads/sites/53/2015/12/casal1.jpg

A terapia encerra à quinta, pelo menos no que diz respeito aos pacientes, com o casal Jorge (Filipe Duarte) e Ana (Maria João Pinho). Depois de se submeter a tratamentos de fertilidade, o casal consegue engravidar. Todavia, o filho que pensavam desejar chega numa altura conturbada. Fazer ou não fazer um aborto? É a questão que se tenta debater na terapia.

Fonte: http://media.rtp.pt/terapia/wp-content/uploads/sites/53/2015/12/ana.jpg

Finalmente, à sexta, é dia de Mário ir conversar com Graça (Ana Zanatti), uma terapeuta amiga que havia sido sua mestre. Com o casamento à beira da rutura e com o despertar de hesitações, no que concerne à sua performance enquanto psicólogo, Mário sente necessidade de ouvir a voz de alguém mais experiente. 

Na verdade, o que mais me fascina nesta série é a sinceridade das personagens, os discursos pouco filtrados e naturalidade dos gestos e das palavras. Depois, é interessante o espectador tentar "adivinhar" ou adiantar os "monstros" que se escondem por detrás de cada paciente. 

Não percam, de segunda à sexta na RTP 1! Podem ver, ainda, todos os episódios em antestreia no RTP Play!  

Escrito por Susana Ferreira. 

Sem comentários:

Enviar um comentário