segunda-feira, 4 de janeiro de 2016

Será isto o amor?

Fonte: http://filmspot.com.pt/images/filmes/posters/big/336681_pt.jpg

Depois de um trailer intenso, onde se antevia uma história marcante, retorcida e, infelizmente, mais comum do que aquilo que possamos imaginar, chega-nos às salas de cinema Amor Impossível, a mais recente longa-metragem de António-Pedro Vasconcelos. Este não é um filme exato, com um encadeamento matemático que culmina num desenlace perfeitamente previsível. Aliás, não pode ser assim quando falamos de relações e de sentimentos. 
A película convida-nos a assistir às histórias de Cristina (Victoria Guerra) e Tiago (José Mata), um jovem casal residente em Viseu, e de Madalena (Soraia Chaves) e Marco (Ricardo Pereira), dois inspetores da Polícia Judiciária de Coimbra. Com uma estrutura familiar débil, Cristina e Tiago refugiam-se na relação amorosa que fabricaram com base na ilusão. Por um lado, Cristina, apaixonada pela literatura inglesa, vive o amor de uma forma intensa e exaustiva porque "não se quer habituar a ter menos do que aquilo que deseja", por outro lado, Tiago, vocalista de uma banda, sucumbe ao seu caráter possessivo e insensato. Madalena e Marco intervêm neste ciclo tóxico quando são destacados para investigar um crime relacionado com os jovens. No decorrer da investigação e à medida que vai lendo o diário de Cristina, Madalena questiona a ligação pseudo-amorosa que mantém com o seu colega de trabalho. 
De uma forma simples mas arrebatadora, o filme aborda temas como a violência no namoro e o amor como escapatória à angústia e à rotina. Então, será isto o amor? Ou estes serão os requisitos para a impossibilidade do mesmo? Mais uma obra cinematográfica com assinatura portuguesa que está à altura de muitas produções estrangeiras. Sacudam os preconceitos do capote e corram para uma tela perto de vós.

P.s. Deixo-vos com o trailer. Já agora, a música do filme não me sai da cabeça! Acontece-vos o mesmo?

Escrito por Susana Ferreira.

Trailer «Amor Impossível», Rádio Comercial 



Sem comentários:

Enviar um comentário