segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

As músicas de 2015


Escolher músicas é sempre doloroso porque, de uma forma ou de outra, todas se destacam. As faixas que se seguem não traduzem, por completo, o meu ano mas assinalam alguns momentos importantes dele. Não estão por ordem! Ordenar é ainda mais doloroso =D


Imagine Dragons – Demons: 2015 foi o ano em que tive os meus primeiros alunos e foi uma experiência ótima. Esta música foi muito importante numa das aulas que lecionei ;) 



Sam Smith – Like I Can: 2015 também foi o ano em que me rendi ao Sam Smith, no NOS Alive +.+


Taylor Swift – Blank Space: A banda sonora das road trips com as amigas! O mundo é nosso com o carro amarelo! =D 


Susana Ferreira.


Citando Nietzsche: “Sem música, a vida seria um erro”. Seguem, abaixo, as canções que fizeram parte da minha playlist de 2015:

“Chandelier”, Sia

De compositora de vários cantores famosos, Sia assume o lugar de intérprete e deixem-na passar, porque o palco é dela. 
Esta música fez parte da banda sonora de algumas das minhas viagens de boleia Pesqueira-Coimbra, e todos concordávamos que Sia tem uma voz bizarra e desconcertante. 
A canção foi e é ouvida por mim repetidas vezes, e como acontece com todas as suas músicas, elas são capazes de nos dar uma valente chapada de realidade tóxica. O que esperam, OUÇAM, às vezes necessitamos que nos despertem :D



“Fast Car”, Tracy Chapman

Por mero acaso, descobri esta música, e de imediato me prendeu. A miúda, agora senhora, descreve nela a trajetória de parte da sua vida. Assim, Tracy canta o relato comovente de uma história sofrida e de como a vida insiste em repetir o enredo de cada um. Mas, além da letra, o que me enleva é a voz rouca (sou uma apaixonada por este tipo de voz) e ao mesmo tempo mélica. Desenganem-se se pensam que vão entristecer-se ao ouvi-la, ironicamente ela incita a um “recomeço”, a um “sim, tu vais ser alguém”. (“Be someone, be someone”). 



“Ass Like That”, Eminem

De vez em quando apetece-me recordar “clássicos”, tal como aconteceu no final deste ano. Esta música é uma daquelas que nos viram do avesso e incentivam a parodiar a realidade. 
Eminem ou o homem que não ri (um dia prometo falar-vos mais deste facto) apresenta-se como o mestre na arte da desconstrução através da comédia, e por vezes, até do ridículo. Esta vertente resultou, e a verdade é que toda esta manobra de marketing convenceu o público e os trabalhos posteriores perderam por se afastarem dela. 
No meu caso, a escolha desta canção permite confirmar a ideia de que as aparências enganam, EU considero o som do Eminem muito cool ;)



Mariana Pinto.

A música é tudo para mim. É a minha mais bonita forma de escape da realidade. Como disse a Susana, escolher três músicas que representem este ano não é fácil, mas consegui.

Taylor Swift - Shake It Off



Apesar de já ser do ano anterior, foi em 2015 que me rendi a esta música. O presente ano teve muitos altos e baixos... foi esta música que sempre me alegrou nos dias menos bons. Os meus amigos já não me podem ouvir a cantá-la.


GROGNation - Distante


2015 também foi o ano em que descobri estes meninos! Fã incondicional de hiphop, estou sempre atenta ao que vai saindo e ao que me aconselham para ouvir. Sem dúvida nenhuma que este grupo me acompanhou em todo o ano e, em particular, esta música.


Beyoncé - 7/11


Esta música foi um género de um "must-have" em qualquer festa! Quando menos se está à espera, eis que chega Queen B com uma música que não dá para ficar quieta (ou a ter uma atitude de diva) a ouvi-la.

Sónia Dias.


Sem comentários:

Enviar um comentário